sábado, 25 de maio de 2019

# Capítulo # porta

Tinha tudo para correr mal (37º Capítulo)

Lembram-se de eu vos ter dado a hipótese de escolherem o próximo narrador da história? Pois bem, os leitores já se pronunciaram, e o próximo narrador da história, vai mesmo ser a Carlota. Isso agora implica uma mudança completamente diferente na maneira de escrever e expor as coisas, e para mim, tendo em conta aquilo que pretendo fazer com a história vai ser um verdadeiro desafio.
"- Peço imensa desculpa pelo atraso! - Digo entrando em casa da Eduarda, a Carlota está mesmo atrás dela e está a fulminar-me com os olhos.
Ela fica verdadeiramente assustadora quando me olha desta forma, mas tasse bem, ela tem razão para estar chateada, quase que o meu atraso lhe estragava os planos.
Para me desculpar estendo o saco com o presente que lhe comprei, obviamente que é uma prenda de anos, mas também serve de desculpa certo?
Ela pega no saco, mas fico com a sensação que o vai usar como arma de arremesso assim que eu virar costas.
- Bem Edu, vens comigo? Eles já são crescidos, por isso ninguém te vai pegar fogo às cortinas! - Diz o Artur que obviamente já adiantou a sua parte neste plano de malucos.
- Sim claro. - Diz a Eduarda pegando na mala que estava pousada em cima da mesa da sala, mesmo perto da maldita porta.
A porta do diabo! A porta de todas as questões e dúvida! Coisa do demónio!
Já estávamos todos imóveis, quase sem respirar (acho que cheguei mesmo a suster a respiração), a Eduarda já com a mão na porta da saída, pronta para abrir a porta e nos deixar à vontade para que déssemos inicio à nossa expedição...
- AH!!! Quase me esquecia! - Diz ela vindo de novo para a sala, e tirando um molho de chaves da carteira e fechando a porta misteriosa, não com uma chave, não com duas, mas três vezes, e uma delas era um daqueles canhões que se usam nas portas da entrada! 
Atira o molho de chaves para dentro da mala e fita-nos a rir.
- Vocês são espertos, mas eu também! - Exclama saindo de casa acompanhada do Artur que nos fita igualmente chocado.
- E agora? - Pergunta a Ana. - É que nem vale a procurar as chaves já sabemos onde elas estão! 
- Nunca pensei... - Diz a Carlota desiludida enquanto se afunda no sofá com um ar pensativo e amuado.
- Nem vale a pena tentar... Ela é mais inteligente que nós todos juntos, ela vai estar sempre um passo à nossa frente. - Conclui o Ivo.
- Ela não pode ser mais inteligente! Tem que haver uma falha! - Exclama a Carlota quase possuída das ideias
- Miss Bond! Tenha lá calma, tentamos e correu mal, não vale a pensar mais nisso! - Diz a Joana sentando-se ao lado dela.
- Venho já!
A Carlota levanta-se com uma fúria tal que se tivesse mais de um 1.60m ia assustar o Spartacus!
- Ela está a levar as coisas a peito! - Brinco quando a pequena Minion passa por mim a deitar fumo pelas orelhas.
- Serei a única a achar estranha a atitude da Carlota? - Pergunta a Joana no seu canto do sofá.
- Como assim? Ela estava convencida que ia conseguir descobrir o que estava atrás da porta, agora está apenas frustrada. - Ri-se a Ana.
- Não sei, mas pareceu-me mais do que frustração... - Acrescenta a Joana chegando-se para a frente.
E não foi por ser a Joana a falar, mas acho que ela tem razão, existe alguma estranha!
- Ela sempre foi a mais nova, sempre sentiu que tinha que provar que era como nós! Ela quer estar ao nosso nível em tudo, e a maneira que tem de o fazer é mostrar que nos consegue provar que estamos errados. - Explicou a Ana. - É assim desde que somos amigos!

Na manhã seguinte...

Adormecemos todos em casa da Eduarda, estávamos todos com uns copos a mais, obviamente que ninguém ia conduzir neste estado.
Estamos todos espalhados pelo quarto de hospedes, até a Eduarda adormeceu aqui. Realmente e apesar dos copos extra não me sinto com ressaca, muito pelo contrário! Foi uma das melhores noites de sono da minha vida apesar de ter adormecido no tapete fofinho que a Edu tem no chão.
Um a um vamos acordando e seguimos para a sala e para a cozinha para tomar o pequeno-almoço, assim que chegamos a sala, uns a carregar as chávenas de café outros os cereais, e outros ainda carregando o pão, reparamos que a Eduarda fita a porta misteriosa muito atentamente.
- Ia jurar que tinha fechado as fechaduras todas! - Exclama ela ela fitando o canhão que estava na parte de cima, efetivamente não se conseguia ver os dentes da fechadura atravessa a madeira da porta até à madeira do caixilho. - Tenho que ter mais cuidado!
Nem parece normal da Eduarda, mas os erros existem não é?"






2ª Parte: 



Acompanhem as novidades através do Facebook | Instagram | Twitter |

7 comentários:

  1. Já nem aguento com tanta curiosidade! O que é que essa porta esconderá? :o

    ResponderEliminar
  2. A Carlota fez das dela.
    Abraço e bom domingo

    ResponderEliminar
  3. Oi
    Muito bacana! Ainda tenho que ler alguns capítulos anteriores, vou lá ;)
    Beijinhos
    Renata
    Escuta Essa | Facebook | Twitter | Instagram

    ResponderEliminar
  4. E eu a pensar que era hoje que ficava a saber o que está afinal atrás dessa porta.
    Quanto à nova narradora, confesso que continuo a preferir que seja a Eduarda.

    ResponderEliminar

Instragam