sábado, 20 de outubro de 2018

Tinha tudo para correr mal (7º Capítulo)

Já ando aqui a preparar os tais episódios especiais onde vou contar como é que o grupo de amigos se conheceu, já tenho algumas pensadas, mas ainda não passei para o papel. De qualquer forma tenciono que antes de natal já possa revelar um ou dois dos flashbacks das personagens. Aproveito para vos perguntar de qual das personagens gostariam de saber primeiro a história de como se conheceram?
Hoje vamos continuar na exposição de noivos, depois da Eduarda se ter cruzado com o ex-marido.


"Existem momentos que parecem passar a correr, depois existem momentos que parecem durar uma eternidade.
Querem saber quanto tempo dura uma eternidade? Façam algo contra a vossa vontade e esperem alguns minutos, eles vão parecer uma eternidade.
Olho-me ao espelho, tenho que concordar que o vestido de noiva em forma de macacão até me fica bem, mas mesmo assim é demais para mim. Muito branco para mim.
- Posso entrar? - Pergunta a cabeça da Ana espreitando pela porta do meu provador.
- Já tens a cabeça cá dentro, que diferença faz trazeres o resto do corpo? - Perguntei enquanto lhe fazia sinal para entrar.
- Oh! UAU! Estás fantástica! - Disse ela fitando-me com um sorriso honesto.
- Infelizmente não posso dizer o mesmo de ti. - Ataquei olhando para o vestido cheio de rendas brancas, lantejoulas brancas e ainda alguns tufos de penas (vá adivinhem!!!) brancas também. - Parece que fugiste de um cabaré celestial!
Ela sorriu e encolheu os ombros.
- Nunca na vida vou experimentar o meu vestido de sonho com o Ivo lá fora!
Bem pensado! Mas... ALTO LÁ! Se ela não vai experimentar "o tal" hoje, isso quer dizer que vamos ter de voltar! Estou fora! Não contem comigo! Nem pensar!
- Tu pareces... Tu estás... - Dizia eu tentando encontrar a melhor palavra para descrever aquele vestido horroroso. - Quem é que que no seu perfeito juízo usava isso?
- Arrisco a hipótese de alguém com muito mau gosto.
- Eu diria antes que seria alguém com interesse em afastar o noivo! 
- Estás a dizer que se eu entrar na igreja com este vestido o Ivo vai fugir de mim?
E pronto, vai começar o drama! Ainda hoje durante a viagem começou a chorar porque lhe disse que era boa ideia o menino das alianças levar as ditas numa caixa fechada para não se correr o risco de as perder.
Eu só fui menina das alianças uma vez mas aprendi com os meus erros!
- Claro que ele não vai fugir de ti... Se aparecesses assim ele ia pensar que ia casar com um Poupas branco em vez de amarelo! - Brinco para aliviar a tensão, mas já estou a prever uma lágrima no canto do olho. - Pronto, deixa-te de coisas. Vou ser honesta contigo OK? - Ela acena com a cabeça e eu peço a Deus que me ajude, sei que sou má peça mas se ele existe que não me abandone agora. - O vestido é tão feio que nenhum homem deveria casar com a noiva que o usasse. É tão feio que nem deveria estar à venda. Aliás esse vestido é tão mau que só por si já é motivo de divórcio. Porém o Ivo gosta de ti e quer casar contigo independentemente do vestido que usares. - Ela sorriu perante o meu fabuloso discurso. - Contudo, não te preocupes, eu vou estar ao lado dele e não o deixo fugir! 
Finalmente ela voltou ao normal! Ao que parece Deus existe e ajudou-me mesmo!
- Ainda bem que te estás a rir, o vestido já é feio, com essa cara de cachorro abandonado é mesmo uma desgraça!
- Meninas venham cá para fora rápido, os rapazes foram experimentar fatos! - Avisou a Joana a rir.
- Qual é a piada? - Perguntei eu ignorando a Joana e a Carlota também vestidas de branco.
- A piada é que não foi o meu irmão que lhes escolheu os fatos! . Acrescentou a Carlota.
- Ou seja... - Começou a Joana ainda a rir - Foi o Rodrigo que escolheu o fato dele... Parece um vendedor de bíblias.
- Só por si, já tem tudo para correr mal. - Respondo.
- E o Ivo? - Perguntou a Ana - Como é que ele está?
- Estável minha senhora! Mas corre alguns riscos de vir a ficar tão bíblico como o primo! - Gozou a Joana.
Saímos as quatro para a sala comum e tal como a Joana e a Carlota tinham dito, o único homem bem vestido era o Artur.
- Oh meu Deus! - Exclamou a Ana em choque, mas cá para mim a culpa é todo do fato vermelho do Rodrigo.
Parece mesmo que saiu agora de um anuncio foleiro a pensos higiénicos.
- Artur não leves a mal o que eu vou dizer a seguir. - Comecei - Mas aqueles dois parecem bonecos de um bolo de casamento gay!
- Eu sei é muito triste. - Concordou o Artur. - É por causa de heterossexuais como estes dois, que os gays tem a má reputação que tem!"

Espero que tenham gostado de mais este capítulo. O que acharam? Contem-me tudo!

Acompanhem as novidades no Facebook e no Instagram (@pequenabonecadetrapos)

13 comentários:

  1. Não sou muito de acompanhar assim historias, mas tenho vindo a gostar bastante de cada um dos teus capítulos


    Beijinhos
    Novo post //Intagram
    Tem post novos todos os dias

    ResponderEliminar
  2. Eu continuo a achar a história interessante.
    Abraço e bom domingo.

    ResponderEliminar
  3. Até experimentar vestidos/fatos de noivos tinha que ser uma aventura :p
    Continua, minha querida, estou a gostar muito

    ResponderEliminar
  4. Agora estou curiosa para ler os episódios dos flashbacks, vou aguardar :)

    ResponderEliminar
  5. Maravilhoso :))

    Hoje com: Não sei se fomos os dois um só, noutra vida

    Bjos
    Votos de uma boa noite e um feliz fim de semana

    ResponderEliminar
  6. Só vim ler hoje, mal pude, estive fora no fim de semana e anda tudo doentito cá em casa...
    Adorei! Mais uma vez adorei!
    A tua escrita sempre tão divertida e cheia de imaginação é adorável!
    Fico à espera da continuação!
    Beijinho

    ResponderEliminar

loading...