sábado, 15 de setembro de 2018

Tinha tudo para correr mal (2º Capítulo)

Fiquei muito feliz com as vossas reação ao primeiro capitulo da história, e espero mesmo que ela continue por muito tempo e com vários capítulos. Prontos para mais um?


Se ainda não leram...
1º Capítulo |


"Respira!
Inspira... Expira...
Preciso de um conselho, mas qual destas seis criaturas tem mais juízo que eu? Vamos lá analisar:
Hipótese A: Falar com a Ana - No mundo cor-de-rosa dela é impensável uma mulher sair com um homem comprometido... E provavelmente tem razão! Além disso é provável que depois vá contar ao Ivo, e toda a gente sabe como é que os homens são!
Hipótese B: Falar com o Ivo - Nem vale a pena tentar, ele ia contar tudo à Ana.
Hipótese C: Falar com o Artur - Ele conhece meio mundo e a outra metade conhece-o a ele, acho que é uma das vantagens de se ser gay.
Hipótese D: Falar com o Rodrigo - Nem morta vou ter esta conversa com o tipo que come tudo o que mexe. Além disso era bem provável que ele me perguntasse se o "meu amigo comprometido" tinha uma amiga jeitosa para um encontro a quatro.
Hipótese E: Falar com a Carlota - Ela não percebe nada de homens e de relações! Boa! A falta de experiência dela é o que eu preciso para me demover desta loucura!
Hipótese F:  Falar com a Joana - O excesso de experiência dela com os homens também pode servir para me dar bons conselhos. Afinal quem melhor do que uma acompanhante de luxo para dar concelhos no que toca a homens comprometidos?
Já tenho vencedora! Levantei-me e fui até à casa de banho, lá dentro fechei a tampa da sanita e sentei-me sobre ela com os pés por baixo do rabo. Mandei mensagem à Carlota e esperei.
Continuei à espera, enquanto pensava, na minha figura naquele momento. Em que parte da minha vida é que eu falhei para estar sentada numa casa de banho pública à espera da Carlota?!
A porta abriu-se mas foi a Joana que entrou, Menos mal, também serve!
- Ah cá estás tu, pensei que tinhas sido engolida pela sanita!
- Não fui, mas já faltou mais. - Respondi olhando para a minha postura. Obviamente que stilettos não são boa ideia quando se tem uma vida tão emocionante.
- Não me vou sentar numa sanita, mas podemos falar sobre isso... Seja lá o que for isso que te obriga a estares sentada numa sanita como um buda feliz, mas com cara de cachorro que não comeu biscoito!
Fiquei a pensar na metáfora do cachorro, seria a minha situação assim tão lamentável? Pois bem, já ia descobrir, depois de lhe resumir o melhor que consegui desde como eu e ele nos conhecemos à química que tínhamos e ao facto de nunca nos termos conhecido porque ele tinha namorada.
- O que é que vais fazer? - Perguntou a Joana retocando a maquilhagem.
- Se eu soubesse o que fazer não estava sentada numa sanita!
Ainda não tinha acabado a frase quando a Carlota entrou a correr na casa de banho.
- Desculpa, só vi a mensagem agora! - Disse ela olhando para mim como se eu fosse um alien que tivesse aterrado na casa de banho das senhoras.
Felizmente a Joana fez o resumo da situação e quando acabou os olhos castanhos da Carlota quase saltava para fora das órbitas, mas voltou ao normal e começou a debater com a Joana os prós e contras da minha situação como se eu não estivesse lá.
Boa! Sentia-me cada vez mais insignificante! E pior que isso continuava sentada na sanita quando a Joana saiu da casa de banho linda e maravilhosa como sempre.
- A Joana tem razão. Se nenhum de vocês consegue ignorar a química que existe entre vocês à mais de um ano, vai ao encontro e vê como corre, para já é só um café...
OH meu Deus o alien não sou eu, o alien apoderou-se da Carlota!
- Além disso, teoricamente não estás a fazer nada de errado... - Continuava ela.
Não estou?
- Não és tu que estás a trair, é ele. Se não for contigo ele vai trai-la com outra...
Era suposto isso fazer-me sentir melhor?!
- Pergunta-lhe se ele tem a certeza das consequências e vai com calma.
Engraçado vi a boca da Carlota mexer, mas ainda não acredito que foi ela que falou.

Ainda atordoada com a possessão da Carlota voltei para a mesa na esplanada onde a conversa já estava na despedida de solteiro do Ivo. Claro que o Rodrigo já estava no controlo das operações.
- E nem penses em trazer aqueles teus amigos que se vestem de mulheres! - avisou apontando para o Artur.
Estavam eles a falar de strippers, de bolos e de strippers que saem dos bolos quando mandei uma mensagem ao "meu amigo comprometido" que apenas dizia "podemos tomar café, mas primeiro temos que falar sobre isso."

Espero que tenham gostado deste capítulo... Alguém quer lançar palpites?

Acompanhem as novidades no Facebook e no Instagram (@pequenabonecadetrapos)

16 comentários:

  1. Oh estou adorar ler cada capitulo desta historia
    Beijinhos
    Novo post //Intagram
    Tem post novos todos os dias

    ResponderEliminar
  2. Amigos que irão partilhar emoções e experiências... Bj

    ResponderEliminar
  3. Estou curiosa com a reação do "amigo comprometido" e com o desenrolar dessa conversa!

    ResponderEliminar
  4. Fiquei curiosa amiga. E esperando o próximo fim de semana.
    Abraço e bom domingo

    ResponderEliminar
  5. A tua escrita é fantástica...
    Um beijo e bom Domingo

    ResponderEliminar
  6. Deixaste-me curiosa! Fico a aguardar o desenrolar da história! :D
    beijinhos

    www.amarcadamarta.pt

    ResponderEliminar
  7. Estou empolgada. Gosto muito da tua forma de escrever, fico a ler e dou por mim a sorrir a maior parte do tempo :) Tens muita imaginação e és imensamente divertida. Tenho que esperar uma semana para saber o que ele vai dizer? :D Não quero!! :D Eu não quero dar palpites, gosto de ser surpreendida :)
    Parabéns!!
    Beijinhos
    Uma boa semana para ti

    ResponderEliminar
  8. Essas situações não costumam acabar bem, mas a ver vamos como continua :)

    ResponderEliminar

loading...