sábado, 24 de novembro de 2018

Tinha tudo para correr mal (12º Capítulo)

Na semana passada, muita gente se interrogou sobre como é que ia correr o encontro entre a Eduarda e o Filipe. Confesso que ponderei escrever um capítulo intermédio só para prolongar o suspense, mas depois, e porque vocês merecem, decidi publicar já hoje os acontecimentos desse tão esperado jantar/encontro.


"Escolhi um vestido sexy para o meu jantar com o Filipe. Por baixo levava uma daquelas lingerie super sexy e super desconfortáveis, mas estava com esperança que o sacrifício valesse a pena. Tinha que valer, caso contrário estava vestida em roupa interior de vinil para nada.
Assim que cheguei ao restaurante (e fiz questão de me atrasar uns minutos para aumentar o suspense), ele sorriu-me com aqueles dentes perfeitos e arrastou a cadeira para eu me sentar. Já viram a minha sorte, além de lindo de morrer, ter sentido de humor, é também um cavalheiro.
Mas não é assim tão cavalheiro que não me tenha comido com os olhos assim que me aproximei, mas pelo menos foi discreto. 
No final do jantar, as coisas estavam bem encaminhadas, dei-lhe as deixas certas e seguimos no meu carro para um hotel. Deixei-o fazer o check-in e depois seguimos para o quarto trocando beijos no elevador. 
- Espera! - Digo eu. - E se mandássemos vir champanhe?
- Tudo o que quiseres. - Respondeu ele pegando no telefone para ligar para a recepção, minutos depois estava o empregado a bater à nossa porta com uma garrafa de champanhe caríssimo. 
Assim que o empregado saiu ele voltou a agarrar-me e a beijar-me, deixei-me levar para a cama e entre beijos e caricias disse-lhe ao ouvido.
- Dá-me uns momentos para ir vestir algo mais confortável! - Disse indo para a casa de banho.
Confortável o tanas, esta lingerie de vinil é tudo menos confortável. Mas pronto queria ser uma dominadora, pelo menos nesta noite especial, por isso além da roupa interior de vinil tirei da carteira, o telemóvel e mandei uma mensagem rápida, depois tirei também umas algemas que a Joana me tinha emprestado. Sorri! Isto ia ser giro!
Deixei as minhas coisas na casa de banho e saí.
Escusado será dizer que como qualquer homem que vê uma mulher nestas condições, ele ficou logo muito mais animado... E com os olhos estranhamente esbugalhados. Sorri o mais sexy que consegui e mostrei-lhe as algemas.
- Estás a brincar!!! - Exclamou surpreendido.
- Eu quando te disse que era uma caixinha de surpresas não estava a brincar! - Respondi tentando manter a minha postura sexy e dominadora (nem eu sabia que tinha tanto jeito para a coisa). 
Excitado ele levantou-se e agarrou-me, empurrei-o, fazendo-o cair na cama e debrucei-me calmamente sobre ele dizendo baixinho:
- Ou fazemos isto como eu quero, ou não fazemos coisa nenhuma!
Foi o suficiente para ele me deixasse algema-lo à cama, por incrível que pareça ele estava mesmo a gostar daquilo, por isso fui dando alguns beijos antes de me afastar e me sentar no cadeirão aos pés da cama a beber champanhe.
- Não me digas que vais ficar ai... - Reclamou ele.
- Claro que não! Eu quando disse que as coisas iam ser à minha maneira, não te contei tudo... - Digo eu enquanto vejo uma sombra de dúvidas passar pelos seus olhos. Dou uma gargalhada. - Não te queria dizer nada para não estragar a surpresa, mas pedi a uma amiga para se vir juntar a nós... 
Tento não me rir do brilho dos seus olhos. Parece um adolescente que viu seios pela primeira vez. Torna-se até um pouco patético, mas tento não reparar nisso. Mostro-lhe uma mordaça.
- Não estás a exagerar? - Pergunta ele.
- Oh, não queres? Ia ser tão giro... Prometo que não te vais arrepender! - Garanto com cara de boa menina.
Ele alinha, nunca pensei que fosse alinhar tão facilmente, mas vai ser desta que eu vou realizar os meus desejos.
Estou a acabar de lhe apertar a mordaça quando batem à porta do quarto. Afasto-me dele com um sorriso malandro e vou até à porta, do outro lado, muito admirada está a Carlota, que fica ainda mais espantada quando me vê vestida de vinil.
- Mas, o que é que... - Dizia ela, mas faço-lhe sinal para se calar, ela fita-me chocada. 
Puxo-a para o quarto e depois para a casa de banho.
- Não estou sozinha! - Explico.
- Deu para perceber! Porque raio me disseste para vir aqui ter com urgência?
- Já vais ver, agora chega-me os sapatos que estou cheia de esta fatiota ridícula vestida. - Digo enquanto voltou a vestir a minha roupa. 
Assim que acabei de me vestir e de arranjar o cabelo, saí da casa de banho fui ao mini bar, não só meti umas quantas garrafas na mala, como servi uma bebida à Carlota e outra para mim.
Fiz sinal à Carlota para que me seguisse, entrei no quarto e assim que me viu novamente vestida, um certo receio passou pelos olhos do Filipe, que amordaçado e algemado não podia nem se mexer muito nem fazer muitas perguntas. Depois disse à Carlota para entrar. A surpresa nos olhos dele foi fenomenal, não controlei e comecei a rir às gargalhadas.
- Pois é, o mundo é pequeno... - Digo eu.
- O que é que...
- Vá feliz Natal adiantado! Considera isto a tua prenda! 
- Prenda? O que é que eu vou fazer com este gajo? 
- Nada, a ideia é mesmo essa. - Respondo, tirando mais uma garrafa do mini bar. 
- Como é que sabias... Como é que o conheceste... Ele é o gajo que dormiu comigo na noite de Halloween! - Dizia a Carlota incrédula. 
Na cama o Filipe estava a tentar dizer algo, mas nenhuma o estava a ouvir, era apenas ruído.
- Quando te fui buscar ao hotel, tive que pagar a conta, porque aqui o cavalheiro, nem o quarto pagou, e ao pagar vi o nome dele. Quando vi na ficha "Filipe Cunha Alves" fiquei desconfiada, qual era a probabilidade de estarem dois Filipes na mesma festa? Por isso na semana seguinte pedi-lhe que me adicionasse no facebook e tive a certeza, Tive ainda mais a certeza quando ele me sugeriu este hotel para passarmos a noite.
Sim, além de sacana ele era óbvio!
- Edu!!! Isso é de génio! - Disse a Carlota tirando outra garrafa do mini-bar. 
- Acho que ele deve passar aqui a noite a olhar para o teto a pensar no que fez. 
Pego na minha carteira mas antes de sair aproximo-me do Filipe que me fita com puro terror.
- Agora vais sentir o quanto é humilhante acordar sozinho num quarto de hotel depois de uma noite inesquecível! Ah, e cuidado com a conta... 
Afasto-me e ele começa a grunhir como um porco.
- Eu sei o que estás a pensar, mas não te preocupes, eu vou avisar o serviço de quartos para vir limpar amanhã de manhã. Agora dorme bem! - Termino com um beijo na sua testa.
Eu e a Carlota saímos do quarto, ao chegar à recepção apenas faço uma pergunta:
- A que horas é o serviço de quartos?
- Oito. - Responde a funcionária.
- Ótimo, estejam à vontade. - Digo saindo acompanhada da Carlota.
- Não acredito que fizeste isto! - Exclama ela.
- Primeiro, não era capaz de me envolver com um gajo que gosta de coisas muito ameaçadoras como algemas e mordaças, segundo, nunca tenho sexo no primeiro encontro, terceiro, não consigo perdoar quem magoa os meus amigos, principalmente os ingénuos! 
- Adoro-te! Foi sem dúvida a melhor prenda de sempre."

21 comentários:

  1. Queridos amigos leitores,

    convidamos-vos a ler o capítulo 1 do nosso conto escrito a várias mãos "Ecos de Mentes", que esta semana chega pela mão do João J. A. Madeira, interpretando Cláudia-.
    https://contospartilhados.blogspot.com/2018/11/ecos-de-mentes-capitulo-1.html

    Sempre com muito carinho por vós,
    saudações literárias!

    ResponderEliminar
  2. A vingança é um prato que se serve frio. Pode ser que lhe sirva de emenda.
    Abraço e bom fim-de-semana

    ResponderEliminar
  3. Quando lançares o livro, avisa.
    Beijinho

    ResponderEliminar
  4. Oh que gostei bastante de mais um capitulo, confesso que essas historia cada vez mais está muito internaste

    Beijinhos
    Novo post //Intagram
    Tem post novos todos os dias

    ResponderEliminar
  5. Adorei!!! A vingança é mesmo um prato que se serve frio... e numa bandeja... em grande estilo!...
    Adorei, este capítulo!!! Gostei mesmo!
    Beijinho! Feliz fim de semana!
    Ana

    ResponderEliminar
  6. Neste caso, tinha tudo para correr bem ahahahah muito bom :)
    Bjxxxx

    ResponderEliminar
  7. Desarmaste-me por completo! Não estava à espera que a história seguisse este rumo, mas adorei

    ResponderEliminar
  8. Isto é que foi vingança! Muito bom!
    https://jusajublog.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  9. Isto foi de génio!!
    Muito bem Teresa!
    Adorei
    Beijinho

    ResponderEliminar

loading...