Translate

sábado, 28 de março de 2020

# Capítulo # tinha tudo para correr mal

Tinha tudo para correr mal (76º Capítulo)

Fiquei com a sensação que na semana passada as pessoas realmente gostaram da proximidade da história com a realidade, por isso, e porque a ideia é a história ser o mais próxima realidade, os elementos do "Tinha Tudo Para Correr Mal", continuam em isolamento como a maioria de todos nós.
"Já estamos na segunda semana de isolamento voluntário, e além de começarmos a perder a noção dos dias, optamos por só ver os noticiários uma vez por dia, para evitarmos ficar mais deprimidos os preocupados.
Esta noite decidimos quebrar a rotina e fazer algo diferente. Colocamos mesas nos respetivos jardins, e vamos fazer um churrasco. Vamos jantar em casas separadas, mas vamos estar a um muro de distância... E por falar em muro, o Dinis achou boa ideia retirar alguma altura numa parte do muro, assim não só os cães podem passear pelas duas casas, como podemos ter algum contacto visual entre nós.
- Tens a certeza que sabes fazer um churrasco? - Pergunta-me o Dinis do seu lado do murro.
- Querido, fazer churrascos é o meu nome do meio... - Respondo orgulhosa.
- Então porque é no S. João, vocês só começaram a assar as sardinhas às 22h45? - Pergunta o Dinis confuso.
Encosto-me de costas ao muro enquanto tento não rir.
- Ainda existe um mito de que os churrascos são coisas de homens... O Rodrigo, o Artur e o Ivo gabam-se disso ano após ano, por isso eu deixo-os ser felizes, apesar de obviamente eles não perceberem nada do assunto.
- Ou seja, sempre que existe um churrasco, tu jantas tarde só para não ferires o ego dos machos é isso? - Pergunta o Dinis colocando uma garrafa de cerveja no muro. 
- Nada disso. - Respondo. - Apenas gosto de me divertir com as dificuldades deles. 
- Como é que eu não pensei nisso? - Pergunta ele com sarcasmo.
- Então, vocês já começaram a beber sem nós? - Pergunta a Ana que acabou de chegar ao pátio com a Joana e com a Lili.
- Estou a começar a fazer o aquecimento... - Brinco. - O Mário e o Luigi?
- Estão com a Peache lá dentro na sala, a dormir com a Vitória. - Responde a Lili.
- Está visto que os três são boas amas! - Digo rindo, sei que estes três cães são mais meigos que a maioria dos seres humanos que conhecem, por isso, sei que a bebé Vitória não estaria mais protegida.
- Ah sim... Ainda hoje de manhã descobri a Peache a dormir por baixo do berço da Vitoria. - Respondeu a Lili com orgulho.
- Bem, podemos dizer que ela tem instinto maternal...- Diz a Ana sentando-se na espreguiçadeira. - Quando esta quarentena acabar vou estar com um bronze fantástico!!! E nem tive que ir à praia. 
- Estás com melhor cor, e com mais saúde que aqueles que foram para a praia e passear nos passadiços em plena quarentena. - Diz o Artur espreitando pela abertura do muro. 
Todos concordamos, temos feito um esforço para termos a nossa vida tente ser o mais normal possível, e isso implica bronzear e fazer exercício ao ar livre sempre que possível. Aliás, eu já perdi quase dois quilos de tão saudável que a minha vida tem sido.
- Bem vamos começar o churrasco? - Pergunta a Carlota.
E de repente, apesar do muro que nos separa e da ausência do Ivo, quase parece um dia um dia normal. Estamos a rir, a cozinhar e a comer, todos juntos, estamos todos bem e isso é motivo para celebrar. Quando damos conta a noite já caiu e continuamos animados, recordamos histórias de velhos tempos, quando de repente do outro lado do jardim...
- Vocês importam-se de fazer pouco barulho! - Exclama o vizinho do lado direito.
- Desculpe? - Diz a Ana. - Ainda é cedo são nove da noite... Estamos apenas a jantar entre amigos...
- Mas estão a fazer barulho... - Reclama o vizinho do lado direito que agora está a espreitar por cima do muro e que continua a usar o capuz para lhe tapar o rosto.
- Peço desculpa, mas não estamos a fazer assim tanto barulho quanto isso... - Reclama o Dinis na abertura do muro.
- Vocês, são todos uns selvagens! - Grita o vizinho irritante.
- Pois bem... - Começo eu aproximando-me do muro do lado direito. - Aparentemente o senhor está incomodado com algo que eu, e os meus amigos não conseguimos entender, mas a verdade é que nós não estamos a fazer nada de mal, e nem sequer estamos a fazer assim tanto barulho. Tendo em conta que a partir deste muro todos os metros quadrados que se estendem para a esquerda são nossos, e que estamos, segundo a nossa advogada dentro da lei, não vejo porque é que continua a falar...
- Uau! - Diz o Artur rindo na entrada do muro.

- Você é mal-educada! - Ataca o vizinho.
- Muito pelo contrário, eu não interrompi a atividade de outras pessoas só porque estou aborrecida, aliás o senhor é que foi mal educado em meter a sua cabeça no nosso lado do muro. Seja como for, esta quarentena provavelmente ainda vai demorar, por isso, sugiro que ou a gente se dê bem, ou então vamos ter uma vida complicada... - Replico.
Consigo ouvir uma breve reclamação, mas depois a cabeça em cima do muro do lado direito desaparece, voltamos à nossa rotina, e ao nosso esforço de fazermos com que esta quarentena se transforme num dia normal."

Espero que estejam a gostar e que estejam a aguentar esta quarentena tão bem como este grupo de amigos.

1ª Parte - Eduarda
1º Capítulo | 2º Capítulo | 3º Capítulo | 4º Capítulo | 5º Capítulo | 6º Capítulo | 7º Capítulo | 8º Capítulo | 9º Capítulo | 10º Capítulo | 11º Capítulo | 12º Capítulo13º Capítulo | 14º Capítulo | 15º Capítulo | 16º Capítulo | 17º Capítulo18º Capítulo | 19º Capítulo | 20º Capítulo | 21º Capítulo | 22º Capítulo | 23º Capítulo | 24º Capítulo | 25º Capítulo | 26º Capítulo | 27º Capítulo

2ª Parte - Rodrigo
28º Capítulo | 29º Capítulo | 30º Capítulo | 31º Capítulo | 32º Capítulo | 33º Capítulo | 34º Capítulo | 35º Capítulo | 36º Capítulo | 37º Capítulo | 38º Capítulo | 39º Capítulo 

3ª Parte - Carlota
40º Capítulo | 41º Capítulo | 42º Capítulo | 43º Capítulo | 44º Capítulo | 45º Capítulo | 46º Capítulo | 47º Capítulo | 48º Capítulo | 49º Capítulo | 50º Capítulo | 51º Capítulo | 52ª Capítulo | 53º Capítulo | 54º Capitulo |

4ª Parte - Artur
55º Capítulo | 56º Capítulo | 57º Capítulo | 58º Capítulo | 59º Capítulo | 60º Capítulo | 61º Capítulo | 62º Capítulo | 63º Capítulo64º Capítulo | 65º Capítulo | 66º Capítulo | 67º Capítulo |

5ª Parte - Eduarda
68º capítulo | 69º capítulo | 70º Capítulo | 71º Capítulo72º Capítulo73º Capítulo74º capítulo | 75º Capítulo |



Acompanhem as novidades através do Facebook | Instagram | Twitter |

18 comentários:

  1. Continuo a acompanhar. Curiosa com esse vizinho tanta vez nomeado sem nunca dar a cara e aparecer precisamente agora.
    Abraço e fique bem

    ResponderEliminar
  2. Mais um interessante capítulo! Obrigada pela partilha e dos bons momentos que nos proporcionas! ;)

    Beijos e um bom fim de semana.

    ResponderEliminar
  3. A quarentena a desafiante a vários níveis!

    ResponderEliminar
  4. Bem interessante a sua história.
    A quarentena é um grande desafio.
    Beijinhos!

    galerafashion.com

    ResponderEliminar
  5. Bom e santo domingo de clausura e musica para aliviar fobias Teresa -.`))
    e acredito que para o fim de Julho
    haverá sorrisos em cada rua de Cidade ou Aldeia (*_*)

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  6. Interessante o seu capítulo.
    Essa quarentena tá me deixando doida já e estou doida pra tudo isso passar logo. haha
    Beijos!
    Pam Lepletier

    ResponderEliminar
  7. Que capítulo mais incrível!

    www.achatadebatom.com

    ResponderEliminar
  8. Há sempre um vizinho a reclamar de qualquer coisa... uma situação muito familiar, quando se mora em prédios...
    Mais um capitulo de que gostei imenso!...
    Beijinho
    Ana

    ResponderEliminar

Instragam

Follow Us @soratemplates