Translate

quarta-feira, 2 de março de 2022

# bullying # comportamento

O que é o bullying?

Acho assustadora a quantidade de vezes que se ouve falar de algum caso de bullying, parece que ser vitima ou praticante de bullying é tão normal, como ir a um café ou a um jogo de futebol, porém o bullying é grave e não devia fazer parte da rotina de ninguém, muito menos se deveria tornar usual e banal.

É preciso falar sobre o bullying urgentemente, isto porque,  ouvimos falar, mas ninguém o vê, ou faz de conta que não quer ver, por isso a minha questão é, se todos estamos cansados de ouvir de falar sobre o bullying porque é que ninguém faz nada contra isso?

Para que conste é importante referir que bullying é a prática de atos violentos intencionais e repetidos contra uma pessoa indefesa que podem resultar em danos físicos e psicológicos às vítimas.
Geralmente o bullying é praticado contra alguém que não se consegue defender, e como tal muitas vezes não compreende os motivos que originaram a agressão. É usual que a vítima tema os agressores, seja pela sua aparente superioridade (física ou de estatuto), seja pela intimidação e influência que o bully mantém junto do grupo social em que se encontra inserido.

Tipos de bullying:

Bullying verbal
Inclui ofensas, ou alcunhas depreciativas.

Bullying físico
Tal como o nome indica inclui agressões físicas.

Bullying psicológico
Inclui todo o tipo de atos que provoquem mal-estar psicológico de forma propositada.

Bullying social
Neste campo falamos de difamação e exclusão de determinada pessoa de um determinado grupo.

Bullying sexual
Qualquer tipo de carícia ou toque contra a vontade da pessoa agredida.

Ciberbylling

Falamos da prática de atos agressivos com recursos a meios informáticos, como por exemplo exposição de fotografias privadas.

Não se pode falar de bullying sem referir como se pode prevenir o mesmo. É fundamental transmitir (principalmente junto das crianças) o que é o bullying e como devem atuar se forem vitimas ou observadores de uma situação de bullying.
Muitas vezes é o desconhecimento sobre o problema que o torna difícil de identificar, como tal as vitimas também não sabem a quem recorrer para pedir ajuda.

Como eu lidei com o bullying:
 

Sempre fui uma criança com o peso acima da média, além disso, o facto de ser mais alta que a maioria das outras raparigas e o facto de ter uma estrutura mais larga fizeram com que muitas vezes ouvisse piadas de mau gosto ou fosse vitima de insultos.
Tive a sorte de ter uma mãe atenta que sempre me disse como lidar com a situação, por isso eventualmente aprendi a ignorar os comentários maldosos. Contudo um dia, ou ver que ignorava deliberadamente um dos insultos, uma rapariga da escola, aproximou-se de mim, e ao ver que ela se preparava para um ataque físico, eu apenas decidi fazer-lhe frente. Ela era mais velha, e era daquelas raparigas que andam com grupos menos recomendáveis por isso devo confessar que na altura estava com medo. Mas sabia que tinha que fazer frente, caso contrario aquilo iria se repetir e seria cada vez pior. Então simplesmente ergui a cabeça e perguntei calmamente "Desculpa lá, mas já viste o teu tamanho e já viste o meu?". Com uma simples pergunta usei o ataque dela contra mim para me defender, e acredites ou não nunca mais nem ela nem ninguém naquela escola se meteram comigo.
 

Fazer frente ao agressor trata-se um ato de coragem e um desafio para a vítima, mas a verdade é que pior não pode ficar e ninguém deve ter medo de viver por causa de uma pessoa frustrada que decide implicar com os outros para se sentir melhor.

E tu, algumas vez, sofreste de bullying? Como lidaste com a situação?
 

Acompanhem as novidades através do Facebook | Instagram | Youtube | Pinterest

30 comentários:

  1. Hé hé hé
    que assim é que é
    enfrentar
    e das tripas coração
    que eu também me lembro que no Secundário na Covilhã
    a dois mais velhos
    lhes tratei a verborrreia cerebral, com genica ´.~`))))

    BOa e bela tarde Teresa, beijinhos.

    ResponderEliminar
  2. Olá Teresa!

    Na minha opinião quem faz bullying, é uma pessoa fracassada
    que gostaria de estar no lugar da outra.
    Desejo-lhe uma semana iluminada.
    Abraços Loiva

    ResponderEliminar
  3. Que me lembre nunca sofri de bullying. Na escola primária, de vez em quando andávamos à pancada, mas no dia seguinte estava tudo bem.
    Principalmente no bullying escolar, as próprias direções das escolas, assobiam para o lado.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  4. Olá, Teresa!
    Pois é...isto do bullying, não é novo, já no meu tempo existia. Na escola primária, e já lá vão umas dezenas de anos, também sofri o dito bullying, que não tinha sequer esse nome. Eram abusos sistemáticos nos mais frágeis, ponto. E aprendi a defender-me disso. Fui aguentando durante algum tempo, até que me saltou a "tampa", e me defendi. E podes crer, que nunca mais houve o dito bullying. Tão simples como isso. Os pais têm que ensinar os seus filhos a defenderem-se, e verás que muitas situações dessas acabam.

    Continuação de boa semana.
    Beijinhos!

    Mário Margaride

    http://poesiaaquiesta.blogspot.com

    ResponderEliminar
  5. Olá, posso dizer que gostei bastante do teu post, acho que não é mesmo coisa fácil de falar nem de lidar com algo que se está a passar nas escolhas e nas crianças.
    Beijinhos
    Novo post
    Tem Post Novos Diariamente

    ResponderEliminar
  6. Já sofri por várias vezes e me senti muito mal por isso. Graças à Deus já superei tudo isso.

    Boa semana!

    O JOVEM JORNALISTA está em Hiatus de verão de 18 de janeiro à 04 de março, mas comentaremos nos blogs amigos nesse período! Mesmo em Hiatus, o blog tem um post novo. Não deixe de conferir!

    Jovem Jornalista
    Instagram

    Até mais, Emerson Garcia

    ResponderEliminar
  7. É, de facto, assustador perceber a frequência com que estes ataques acontecem e os impactos que têm a médio-longo prazo nas pessoas que os sofrem na pele.
    Precisamos de alertar, falar, agir com urgência

    ResponderEliminar
  8. O Mundo a fazer à Ucrânia, onde assiste a 2ª Potencial Mundial e nada fazem

    ResponderEliminar
  9. I was bullied as a young kid and eventually had to fight the bullyer to get it to stop. It was liberating in a sense but getting to that point was tough. I agree with you- it's amazing to me that in 2022 we still have these issues. I guess things don't change. But thank you for addressing this!

    ResponderEliminar
  10. So sad because bullying has become a big problem. It's seen more often and often especially in schools.

    www.fashionradi.com

    ResponderEliminar
  11. Só não concordo com uma foto de sorrisos, a falar sobre um tema complicado destes.
    De resto, gostei

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Creio que uma coisa não interfere com a outra, até porque se todas as vitimas de bullyng estivesses tristes e não sorrissem, era fácil de detetar e evitar que casos graves acontecessem!

      Eliminar
  12. Foste muito corajosa mas no meu caso as palavras custavam-me muito a sair... e passava o tempo do recreio sentada nas escadas da escola para que ninguem se metesse comigo, era uma trinca-espinhas muito franzininha mas hoje reconheco que era mais corajosa do que o que eu pensava ao olhar para as coisas que eu enfrentei <3

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Infelizmente muitas pessoas ficam medo, é normal, principalmente quando somos novas!

      Eliminar
  13. Me hicieron bullying desde los 3 hasta los 16 años, llega un momento en el que lo mejor es pasar del tema y hacer como quien te acosa ni existe.

    ResponderEliminar
  14. Infelizmente isso não é novo no mundo. As pessoas falam que "é modinha', mas na real ele só foi batizado agora, mas as pessoas tinham que lidar com isso há anos. Eu também sofri bastante, por ser acima do peso na escola. E foi uma época muito triste, da qual não gosto muito de lembrar.
    Bjks!

    Mundinho da Hanna
    Pinterest | Instagram | Skoob

    ResponderEliminar

Instragam