sexta-feira, 22 de fevereiro de 2019

# quilos

Uma questão psicológica

Sejamos sinceros de uma vez por todas. Ninguém gosta de engordar (a não naqueles casos em que tem mesmo que ser). Por isso quando o meu peso por questões médicas começou a escalar, eu não soube lidar com a situação.
Inicialmente eram só uns quilos a mais, na altura estava a terminar a faculdade e como qualquer universitário que se preze, a minha alimentação não era a melhor, por isso não liguei e pensei "isto vai voltar ao sitio". 
Não voltou, mas esteve mais ou menos estável durante uns dois anos, ora emagrecia, ora engordava, mas como não era nada de mais não me preocupei com isso.
As coisas começaram a piorar alguns anos mais tarde, os quilos a mais já me começavam a preocupar e incomodar. Quando cheguei aos 100 quilos entrei em depressão, fiz dieta, tomei medicação, exercício, e por cada quilo que perdia, ganhava dois.
Sentia que não tinha controlo no meu corpo e isso estava a matar-me por dentro. 
Numa tarde decidi que era tudo uma questão de autoestima, então fiz um tratamento facial, a depilação, arranjei as unhas, mas depois no banho tudo piorou. Não era só falta de autoestima, era falta de ser eu no meu corpo. Num ato de loucura comecei a esfregar a barriga e as coxas com uma luva exfoliante durante tanto tempo e com tanta força que fiquei em ferida, não foi grave e quando o meu namorado me encontrou eu prometi que não ia voltar a acontecer.
Menti, voltei a magoar-me da mesma maneira mais algumas vezes, era estúpido e irracional, mas era a maneira que eu tinha de purgar por odiar o meu corpo. Um dia cheguei mesmo ao ponto de sangrar, tal foi a violência com que me esfreguei. As pessoas não entendem, e eu sei o quanto a minha atitude era irracional, mas eu só queria que aquilo desaparecesse, mas só ficava pior. 
Meses mais tarde o meu ex-marido ajudou-me a aceitar que precisava de ajuda, e convenceu-me a marcar consulta numa psicóloga. Nesta altura eu já sabia mil e uma maneira de me aleijar nos sítios com gordura acumulada, desde beliscões até ficar roxa, a tentar provocar o vómito, ou simplesmente estando sem comer. Ainda hoje não sei como é que a maioria das pessoas não se apercebia que subitamente eu dizia que tinha sono e me ia deitar, quando na verdade apenas sentia fraqueza e me sentia sem força para estar de pé.
A psicóloga ajudou-me muito, não sei se teria conseguido se não fosse com a sua ajuda, aos poucos parei todas as atitudes parvas que andava a ter e aceitei o que me estava a acontecer. O divórcio foi também uma maneira de eu aprender a lidar comigo mesma, e a gostar de mim, claro que o facto de ter as minhas hormonas terem estabilizado e de eu ter começado a minha contagem regressiva no que diz respeito ao peso ajudou bastante. Hoje sei que estou gorda, mas penso que já passei por pior e que vou superar também estes quilos que faltam.

Com este post quero apenas alertar que a questão do peso, da vergonha pode levar algumas pessoas "aparentemente normais" a fazerem coisas muito estúpidas, se eu conseguia fazer coisas más a mim mesma sem que ninguém visse, não era porque as pessoas não estavam atentas, era porque eu sabia esconder bem, por isso estejam atentos porque felizmente eu percebi a tempo que tinha de parar com estes comportamentos, apesar de maus os meus comportamentos não eram muito graves, mas sei muito bem que as coisas poderiam ter escalado.


Acompanhem as novidades através do Facebook | Instagram | Twitter |

21 comentários:

  1. Infelizmente um problema bem complicado! Sou sincera... tenho peso a mais e gostaria de emagrecer mas como gosto de petiscar... fica bem difícil!
    Bom fim_de_semana ... 💜

    ResponderEliminar
  2. O problema não é só engordar,
    porque, há outros conta-tempos
    muito peso custa a transportar
    mesmo até à ponta dos cabelos!

    Bom fim de semana Teresa Isabel.

    ResponderEliminar
  3. Muito complicado. Louvo-te a coragem...

    Hoje:- És a bebida que sorvo em mar deserto.

    Bjos
    Votos de uma óptima Sexta - Feira

    ResponderEliminar
  4. Gostei bastante da tua partilha, pois não gosto nada quando falam de pessoas que tem um peso elevado, mas que coragem a tua, para mim cada um é como é dependendo do peso que tenha
    Beijinhos
    Novo post //Intagram
    Tem post novos todos os dias

    ResponderEliminar
  5. Não imagino o que é isso ou o que sentias, mas acredito que seja muito difícil. Ainda bem que conseguiste superar.

    ResponderEliminar
  6. Uma questão complicada e que tem que ser levada a sério, coisa que infelizmente não acontece muito. Obrigada pela coragem de partilhares a tua história que certamente irá ajudar outras pessoas com o mesmo problema. Beijinhos
    --
    O diário da Inês | Facebook | Instagram

    ResponderEliminar
  7. Muito complicada essa situação e sei que há muita gente que o faz, deve ser uma sensação horrível.
    Ainda bem que conseguiste sair dessa.
    Tentar mudar a tua alimentação, evita as carnes vermelhas opta pelas brancas, peixe cozido ou grelhado e muitos legumes. Esqueçe os doçes, vais conseguir.
    Bjxxxx linda.

    ResponderEliminar
  8. Fizeste bem em partilhar e alertar para estas situações que afligem tanta gente.
    Beijinhos
    Bom fim-de-semana

    ResponderEliminar
  9. Poxa, eu te entendo, parece que a dor física esconde a dor emocional por uns instantes, e esse ato de se martirizar faz com que nós nos sinta melhor, é como se fosse um castigo,
    Mas que bom que você conseguiu se livrar e aprender a se controlar.
    Parabéns, pode contar comigo sempre <3

    nicenessbeauty.com

    ResponderEliminar
  10. Quando não estamos bem connosco, há atitudes que não conseguimos controlar, porque só queremos paz; só nos queremos sentir bem. Mais tarde, compreendemos esse lado irracional do nosso comportamento, mas o processo até lá pode ser moroso.
    Tenho que te dar os parabéns por esta publicação, porque é um alerta importantíssimo!

    ResponderEliminar
  11. Parabéns pela partilha, é importante as pessoas estarem atentas! Eu nunca fui gorda mas sinto que depois dos 40 se engorda com mais facilidade e que custa mais perder peso, então criei o hábito de me pesar uma vez por semana, a meio da semana, de manhã (depois do xixi e antes do peq almoço) o chamado peso seco e caso tenha aumentado de uma semana para a outra tento controlar logo para não avançar muito, custa menos perder pouco peso do que muito, fica a dica! Coragem para o resto dos Kg que pretende perder, é acima de tudo uma questão de atitude. Bjs

    ResponderEliminar
  12. Adorei a tua sinceridade!... Que pode ajudar tanta gente, em circunstâncias muito parecidas!
    Mas de certeza que se um dia, fores firme num plano alimentar que achas que te possa livrar dos kilitos extra, e talvez se te inscreveres num ginásio... até possas ter alguma ajuda e incentivo extra e contínuo nesse sentido (para além de ser um sítio onde até se podem conhecer alguns giraços... :-)) acho que os teus kilitos que consideres indesejáveis... desaparecem num ápice... assim que a gente se mentalize e tenha força de vontade...
    Belíssima partilha! Beijinhos
    Ana

    ResponderEliminar

Instragam