Translate

segunda-feira, 25 de abril de 2022

# 25 de abril # destaque

ESPECIAL 25 DE ABRIL | As palavras de um prisioneiro na PIDE

Todos nós sabemos o que foi o 25 de abril, e o que ele representou para a história de Portugal. Contudo, e para assinalar esta data tão importante, decidi trazer-te um ponto de vista diferente, não te falar da revolução, nem das vitórias, mas sim, contar-te a história de um homem que por defender os seus ideais esteve preso na PIDE.

Hoje a sua neta fala dele com muito carinho. Da sua história poucos registos sobreviveram, uma vez que com receio de uma nova prisão, todos os documentos foram destruídos, sobrando apenas pequenos registos pessoais e um caderno de poemas que Armando Vitorino de Oliveira deixou para a neta.

Armando Oliveira nasceu no Porto no ano de 1933, sempre viveu na cidade do Porto onde trabalhava como chapeiro, e sempre foi um comunista que defendia as suas ideias e crenças.

Durante o regime da ditadura, a PIDE fez uma busca à sua casa, lá encontraram alguns papéis onde o homem exprimia a sua opinião e ideias contra o regime.

Felizmente o tempo de prisão na PIDE foi curto, contudo e enquanto lá estava escreveu alguns poemas que ficaram registados no caderno que deixou à sua neta:

O pão da PIDE

Um dia!
Um pássaro voando das alturas
Pousou no fosso das grades da prisão

O autor olhou-o e pensou
Vou dar-lhe pão
O pão em bolinhas transformado

Depois de ultrapassar grandes e redes
Caiu no fosso
Onde havia, uns restos de gramado.

O pássaro saltitando aproximou-se
Do pão que por mim foi lançado
Olhou para o pão...

Depois para mim

Que estava preso
Atrás das grades do fundão

Deu uma, duas, três
Pancadas com a pata
À laia do que fazemos com o bico do sapato

Em feito de desprezo
Em algo por nós achado
Eu juro!

Que o pássaro olhou
E cheirou o pão
Que por mim foi Lançado

E eu ouvi!
Por ele murmurado
Não é pão de Deus!

É da PIDE!
Se o debico
Morro envenenado

E o pássaro voou
Dizendo-me adeus
E eu, olhando o seu voo,
para os altos céus

Pensei!
E disse muito alto:
Graças a Deus!

 

O período na prisão da PIDE foi de apenas alguns meses, por sorte, o pai de Armando Vitorino era um bombeiro sapador, que conseguiu alguns favores juntos de pessoas influentes. 

Armando Vitorino nunca falou muito com os filhos e com os netos sobre o período em que esteve preso. A neta acrescenta que "se ele sofreu, não acredito que alguma vez vez tenha contado a alguém o que se passou". 

 Aos 56 anos, Armando Vitorino suicidou-se por motivos pessoais, e com ele levou os horrores que viu e possivelmente viveu na PIDE.

 

Acompanhem as novidades através do Facebook | Instagram | Youtube | Pinterest

40 comentários:

  1. Pois
    efémero fim ´.`))))))

    Boa e bela tarde de Cravos de Abril
    nos espingarduns ´.~`)

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  2. Olá Teresa!
    Um testemunho impressionante e verdadeiro aqui partilhas.
    Foi por isso mesmo, pela falta de liberdade de pensamento, de opinião, que os opositores do regime do Estado Novo iam presos. E foi exatamente para libertar essas amarras da Pide e da censura que o regime nos cercava, e ao mesmo tempo, acabar com a guerra colonial injusta, que houve o 25 de Abril.
    Saibamos pois, preservar a liberdade e a democracia que hoje vivemos.

    Tem um excelente feriado, e ótima semana!

    Beijinhos.

    Mário Margaride

    http://poesiaaquiesta.blpgspot.com

    ResponderEliminar
  3. Um verdadeiro heroi! Excelente post :) 25 de Abril Sempre! Viva a Liberdade!

    ResponderEliminar
  4. devido a pessoas assim que acreditaram e fizeram acontecer é que tivemos a liberdade

    ResponderEliminar
  5. Uma partilha extraordinária! Obrigada por teres trazido esta perspetiva

    ResponderEliminar
  6. Não conhecia o autor, Isy. Mas impressionaram-me a história e o poema! Meu abraço, boa semana.

    ResponderEliminar
  7. Obrigado pela partilha Feliz 25 de Abril

    ResponderEliminar
  8. History has brought so much blood and suffering, but it has taught us nothing.

    ResponderEliminar
  9. Que gostei bastante da sua partilha, é sempre bom ler esse tipo de histórias
    Beijinhos
    Novo post
    Tem Post Novos Diariamente

    ResponderEliminar
  10. Não o conhecia Teresa e gostei do poema e dessa sua bela homenagem, muito bonita! Beijos :*

    ResponderEliminar
  11. Um homem corajoso que lutou por seus ideais! E que bela letra,em?

    😘

    ResponderEliminar
  12. Obrigado por dar a conhecer!
    O último preso político a sair da prisão no Porto... é pai do meu genro e arrepio-me com as histórias dele!!!
    Boa semana

    ResponderEliminar
  13. Excelente partilha!
    Passei para desejar uma semana feliz!
    Beijinhos,
    Espero por ti em:
    strawberrycandymoreira.blogspot.pt
    http://www.facebook.com/omeurefugioculinario
    https://www.instagram.com/marysolianimoreira

    ResponderEliminar
  14. This is something extraordinary..thanks for sharing dear :-)
    Beauty and Fashion/Rampdiary/Glamansion

    ResponderEliminar
  15. Grata por nos dar a conhecer mais um testemunho do que foi essa tenebrosa polícia.
    Abraço e saúde

    ResponderEliminar
  16. Happy 25 April! I dont know this before. Thanks for the info. Thanks for the poem.

    ResponderEliminar

Instragam