Translate

sexta-feira, 4 de março de 2022

# Capítulo # Linha Desfalecida

Linha Desfalecida - 25º Capítulo

Decidi começar a encaminhar esta história para a reta final, ainda não sei ao certo quantos capítulos vamos ter pela frente, pois não quero estragar a história e fazer as coisas acontecerem repentinamente. Seja como for já tenho os próximos capítulos de "Linha Desfalecida" idealizados e depois logo veremos o que será feito daqui para a frente.

"Hugo e Alexa entraram no armazém, de pé, a Isabel, o Rui e Marcelo conversavam.
- Desculpem o atraso, mas o meu irmão é pior do que as mulheres! – brincou a Alexa piscando o olho.
- E pelos vistos não se esforçou muito! – brincou o Rui fitando o amigo que apenas trazia vestido um fato de treino.
- Deixem-se de brincadeira! – interveio o Marcelo com um semblante carregado – O assunto é sério!
Todos o fitaram surpreendidos.
- Rui, conta-lhes o que me contaste ontem à noite… - pediu o homem mais velho.
- Estamos a ser seguidos. – confessou o Rui sem rodeios, Isabel mostrou-se preocupada, mas tanto o Hugo como a Alexa demonstravam sentimentos que o Rui percebia serem de desvalorização por isso fitou-os com curiosidade.
- Aquela universitária meu psicopata que te anda a seguir… Isso já sabemos!
- Porque é que tens sempre que chamar psicopata às pessoas? – perguntou o irmão fitando-a.
- Estou a tentar ser educada… - respondeu ela rindo. Na verdade, não lhe passava pela cabeça que pudessem correr perigo.
As expressões do Rui e do Marcelo continuavam severas, mas aparentemente, apenas a Isabel dera conta disso.
- Existe algo mais! – exclamou ela interrompendo a brincadeira dos dois irmãos que se calaram e fitaram o amigo.
- O que é que passa Rui? – perguntou a Alexa desta vez consciente que a situação não era para brincadeiras. – Ela descobriu alguma coisa?
- A Samanta é curiosa, mas para já não é um problema para nós… Nunca pensei dizer isto, mas ainda bem que ela nos andava a seguir…
- Não estou a perceber… - disse a Isabel.
- A Samanta foi uma rapariga com quem me cruzei, e que ajudei com os meus dons, mas ela é inteligente e percebeu que alguma coisa não batia certo e por isso começou a seguir-me. Ela sabe que se passa alguma coisa mas não sabe o que é. Podem ficar descansados…
- Então qual é o problema? – perguntou o Hugo.
- Enquanto ela me seguia, ela percebeu que mais alguém nos anda a seguir também. Não sabe quem é, só viu um carro preto.
- Como é que ela sabe que esse carro nos está a seguir? – perguntou a Isabel.
- Por que ela viu o carro duas vezes no mesmo sitio em que estávamos... – explicou o Rui.
Alexa bufo e chutou o ar, Isabel massajou as partes laterais da testa, enquanto que o Hugo fitava atentamente as duas raparigas com as mãos afundadas nos bolsos.
- O que vamos fazer? – perguntou a Isabel.
- Para já vamos agir com normalidade, não usar os dons nem dar nas vistas. Quem nos está a seguir não vai ver nada além de quatro adolescentes e um adulto nas suas vidas banais. – disse o Marcelo.
- Isso é fácil dizer! Como é que eu não uso uma coisa que não sei como controlar? – perguntou a Isabel preocupada.
- Vais que descobrir o quanto antes! – respondeu o Marcelo. – Nós vamos tentar de ajudar...
- E depois? Quer dizer corremos perigo? – perguntou a Isabel.
Todos os presentes trocaram um olhar preocupado e tenso, deixando a isabel mais nervosa e preocupada. Pela expressão corporal dos colegas a situação era realmente grave. Contudo foi a voz de Alexa que se ouviu.
- Sim é grave! – disse ela, todos os olhos se viraram para ela – Da última vez que semelhante aconteceu tentaram matar o Hugo e o Marcelo.
Isabel fitou-a realmente surpreendida com a revelação.
- Era um grupo de dois elementos, um deles absorvia os dons das pessoas que matava. Nunca percebemos muito bem como ele fazia isso, mas a verdade é que a Alexa tem razão… - explicou o Rui.  
- Não podemos simplesmente ir à polícia e dizermos que estamos a ser seguidos? – questionou a Isabel, todos a fitaram – Não precisamos de contar tudo… apenas dizemos que nos sentimos em risco.
- Não creio que a polícia faça alguma coisa só porque nós vamos dizer que estamos a ser seguidos. – disse o Marcelo. – Não temos provas de nada. – fez-se um pesado silêncio enquanto as cinco pessoas presentes no armazém trocavam olhares. – Além disse se for uma pessoa como nós, pode ter qualquer tipo de dom, e isso implica conseguir manipular a polícia, usar a policia para obter informações, ou outra coisa que pode até nem nos passar pela cabeça.
- Estamos por nossa conta. – resumiu a Isabel.
- Temos que ser o mais normal possível, e fazer com que a pessoa que nos segue pensar que se enganou e que somos adolescentes normais. – explicou o Hugo.
Isabel sabia que o namorado tinha razão, mas também sabia que de todos eles, era ela que provavelmente poderia estragar o disfarce por não controlar os seus poderes. Sentia-se como uma bomba relógio, e só não sabia quando nem onde iria explodir, e pior arrastar consigo aqueles que ela agora considerava amigos.
- Não existe nada que possamos fazer… - disse o Rui ao sentir o medo e o conflito interno de Isabel. – Vamos para casa, e vamos ser adolescentes normais!
Todos acenaram, e começaram a afastar-se em direção à porta.
- Alguém me sabe dizer o que é que os adolescentes normais fazem hoje em dia? – brincou a Alexa.


- Detesto acampar! – reclamou a Isabel assim que o namorado estacionou o carro.
- É o mais seguro. Estamos só os dois aqui, mesmo que uses os teus poderes sem saberes ninguém vai estar aqui para ver.
- Manter-me longe do mundo só vai funcionar durante o fim-de-semana, como vai ser quando na segunda-feira regressarmos à escola? – questionou a Isabel, saindo do carro e aproximando-se da mala do carro para ajudar o Hugo com as coisas que tinham trazido.
- Ainda não sei, mas daqui até lá vou pensar em alguma coisa para te manter a salvo.
- Achas mesmo que estamos em perigo?
- Infelizmente sim. – respondeu ele com sinceridade, nesse momento os olhos de Isabel encheram-se de lágrimas, e ele percebeu o quando ela estava assustada. – Mas vamos ficar bem.
- Não me podes prometer isso. – chorou ela, ele aproximou-se a abraçou-a.
- Não te posso prometer que vai correr bem, mas juro-te que vou fazer tudo o que conseguir para te manter a salvo…
- Não é comigo que estou preocupada! – respondeu ela por fim. Ele afastou-se o suficiente dela para a fitar. – A Alexa disse que da outra vez te tentaram matar… E se te descobrem por minha causa? Talvez não devesses estar comigo…
- Isso foi antes… Não sabemos qual é intuído da pessoa que nos segue! Seja como for hoje eu controlo os meus dons e posso me defender melhor do que me defendi na altura… aqui estamos seguros, ninguém nos pode seguir aqui estamos em campo aberto, se estivesse aqui alguém já o teríamos visto! Estamos seguros!
Isabel tentou esboçar um sorriso, mas a verdade é que nem ela nem ele acreditavam assim tanto na sua segurança.

Samanta levantou-se do sofá depois de ouvir a campainha de casa tocar, tinha planeado ficar em casa a estudar e talvez à noite fosse até ao café. Não tinha tido novidades do Rui desde a noite anterior e atualmente não sabia se deveria considerar isso algo bom ou mau, por isso ficou realmente surpreendida quando espreitou pelo olho-mágico da porta e viu que era o Rui do outro lado.
- Preciso da tua ajuda! – disse ele assim que ela abriu a porta.
- Sim. Claro! Entra! – exclamou ela afastando-se para ele entrar. Estava de t-shirt e calças de fato de treino, e tinha o cabelo preso no topo da cabeça. Nada elegante, mas pela urgência na voz dele, não ia dar para trocar de roupa. Acompanhou-o até à sala. – O que se passa?
- O que me podes dizer sobre o carro que nos anda a seguir?
- Só o que te disse ontem. Um carro preto. Acho que era um golfe ou um polo! Nunca fui muito boa com carros, mas tenho a certeza que era um Volkswagen.
- Preciso de algo mais… - lamentou ele.
- O que é que se está a passar? Talvez devesses ir à polícia!
- Isso não é uma opção…
- No que é que estás metido? – perguntou ela. De repente começava a duvidar se ele era realmente tão boa pessoa como ela idealizara.
- Não sou o mau da fita aqui! Apenas não posso ir à polícia e dizer que eu e os meus amigos estamos a ser seguidos.
- Os teus amigos fizeram alguma coisa? Tem alguma coisa a haver com o assalto?
- Não! Quer dizer, acho que não. Só não sei porque de estar a ser seguido…
- Espera! – disse ela, saindo da sala e regressando segundos depois com um caderno na mão. – Vais achar estranho o que te vou mostrar, mas desde que te comecei a seguir que tenho apontado tudo neste caderno… - continuou ela abrindo o caderno. Ele fitou-a admirado, mas não fez perguntas. – Eu só te segui a ti! Nunca segui os teus amigos!
- Acredito, mas em que é que isso nos vai ajudar? – perguntou ele enquanto ela folheava freneticamente as folhas do caderno.
-  Eu habitualmente coloco referencias de sítios e locais, e isso implica outros carros… - explicou ela, ele fitou-a chocado – Eu sou estranha e perfecionista!
- Acho que levaste esta coisa da perseguição um pouco a sério não achas?
- Talvez, mas acho que agora isso pode ser útil!
- Não me digas que apontaste e matrícula do carro?
- Não, nunca pensei que fosse necessário, mas já tomei nota de começar a fazer isso em perseguições futuras! – ironizou ela enquanto folheava, subitamente exclamou. – É isso! O padrão!
- Qual padrão? – questionou o Rui, que de repente começava a achar aquela rapariga exageradamente estranha.
- O carro nunca está presente quando eu te estou a seguir só a ti! – explicou ela apontando para o caderno. – Ele só está lá quando tu estás com os teus amigos!
- Isso quer dizer que não me estão a seguir a mim!
- Exatamente! Mas isso quer dizer que um dos teus amigos está em maus lençóis!
- Nunca pensei que o facto de me seguires pudesse ser útil!
- Ainda bem que ajudei, mas será que agora me podes explicar o que se passa?   
- Não te posso dizer. – disse ele com pena, ela fitou-o com tristeza, então de repente ele aproximou-se dela e beijou-a. – Mas quando esta confusão toda acabar acho que te vou dever algumas explicações!
- Parece-me justo! – brincou ela.
- O que me dizes de irmos seguir os meus amigos?
- Estava a ver que nunca mais me perguntavas!"

    

Se ainda não tiveste a oportunidade de ler...   

1º Capítulo | 2º Capítulo | 3º Capítulo | 4º Capítulo | 5º Capítulo | 6º Capítulo7º Capítulo | 8º Capítulo9º Capítulo | 10º Capítulo | 11º Capítulo | 12º Capitulo | 13º Capítulo | 14º Capítulo | 15º Capítulo | 16º Capítulo | 17º  Capítulo | 18º Capítulo | 19º Capítulo | 20º Capítulo | 21º Capítulo | 22º Capítulo | 23º Capítulo | 24º Capítulo |

 

Acompanhem as novidades através do Facebook | Instagram | Youtube | Pinterest

30 comentários:

  1. Boa e bela tarde
    feliz fim de Semana Teresa
    que tá frio e a fogueira arde ´.~`)))))

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Muito bom esse capítulo, pode publicar um livro.
    Big Beijos
    www.luluonthesky.com

    ResponderEliminar
  3. Como é mesmo bom acompanhar mais um capítulo, posso dizer que tenho vindo a gostar bastante
    Beijinhos
    Novo post
    Tem Post Novos Diariamente

    ResponderEliminar
  4. Personagems bem delineadas, que talvez peçam já o final
    É o minha opinião 🙂

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Compreendo, e como expliquei estou a encaminhar a história para um final, mas não o vou fazer de forma apressada e estragar o que foi escrito até agora!

      Eliminar
  5. Super curious now who's followng them :)

    ResponderEliminar
  6. Mais um capítulo deste interessante romance aqui partilhas.

    Muito interessante!

    Votos de um excelente fim de semana!

    Beijinhos.

    Mário Margaride

    http://poesiaaquiesta.blogspot.com

    ResponderEliminar
  7. Achei esta publicação uma ideia inovadora, vou ler os capitulos todos!
    Beijinhos :)
    https://mahalooblog.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  8. Passei para te desejar uma boa semana *.*

    ResponderEliminar
  9. Amei o capítulo. Tenha uma boa semana
    beijos
    https://www.dearlytay.com.br/

    ResponderEliminar

Instragam