Translate

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2022

# Capítulo # Linha Desfalecida

Linha Desfalecida - 24º Capítulo

Tenho notado que algumas pessoas parecem estar um pouco mais "desligadas" dos mais recentes capítulos de "Linha Desfalecida", e isso fez-me questionar se a história não se estará a prolongar demais e estarei a perder o interesse dos leitores? Diz-me o que achas da história e se queres que ela continue ou não.

"Quando acordou na manhã seguinte, Isabel sentiu no corpo os efeitos da ressaca. Sabia que não tinha bebido o suficiente para falar de mais, tivera esse cuidado, mas bebera o suficiente para estar com dores de cabeça e com a boca seca.
Para ser sincera a conversa com a irmã e com a Eveline tinha sido completamente inútil e ela continuava sem saber o que fazer em relação ao namorado e em relação à amiga que apesar de tudo, ela sentia que tinha traído. E agora além do problema que já tinha, precisava urgentemente de tomar um banho e lavar os dentes.
Estava a levantar-se quando ouviu o seu telemóvel vibrar em cima da mesa de cabeceira. Voltou para trás para verificar, mas ficou surpreendida ao ver que a mensagem não era do Hugo, mas sim do Rui a dizer que precisavam de se encontrar no armazém.
Isabel lamentou que o banho relaxante que estava a planear tomar tivesse que se adiado, mas pelo menos ia manter a cabeça ocupada, por algum tempo.

    
Um estranho som de algo a bater acordou o Hugo, assim que abriu os olhos e viu que apenas estava a dormir ele ponderou estar apenas a delirar e voltar a dormir, mas desta vez o barulho voltou a despertar os seus sentidos. Estava tão ensonado que só alguns segundos depois percebeu que era apenas alguém a bater à porta.
- Deixa-me dormir! – exclamou ele com a certeza que era a irmã.
- Estão pegadas no teto! – disse a Alexa do outro lado da porta. Aquela era a frase secreta entre eles, funcionava como uma espécie de gatilho secreto para a famosa frase “precisamos de falar com urgência”, e usavam-na para que os pais não desconfiassem que alguma coisa estava errada com eles.
- Entra! – gritou o Hugo sentando-se na cama. A irmã entrou e fechou a porta atrás de si.
- O Rui mandou mensagem. Temos que ir para o armazém!
- Aquele gajo não dorme? São para aí nove da manhã… - reclamou o Hugo.
- São quase onze! – refutou a Alexa fitando o irmão que parecia estranho – O que andaste a fazer com estares com tão mau aspeto!
- Obrigada pela sinceridade! – ironizou ele – Chateei-me com a Isabel, ou ela chateou-se comigo… tecnicamente não sei ao certo que aconteceu…
Alexa fitou o irmão confusa. Ele levantou-se e foi para a casa de banho.
- Contei à Isabel o que aconteceu com a Viviana. – confessou ele espreitando pela porta.
- Tudo?
- Sim tudo. Na altura achei boa ideia não haver segredos nem coisas mal-esclarecidas entre nós, mas agora acho que fiz mal… Talvez devesse ter esperado mais um tempo…
- É o sonho de qualquer mulher saber que o namorado foi loucamente apaixonado por outra ao ponto de quase a matar de desejo! – ironizou a Alexa. – No lugar dela, eu fugia a sete pés de ti!
- Foi mais ou menos isso. – respondeu ele regressando ao quarto já vestido com um fato de treino.
- Diz-me que pelo menos explicaste que ela era louca… Se ela for louca tu não vais parecer tão louco à beira dela…
- Essa ideia de que a Viviana era louca está apenas na tua cabeça… - rematou o Hugo.
- Não só na minha, e tu sabes bem. Tu só não queres assumir a culpa naquela história toda, porque isso implicaria que no fim, ela já não era a rapariga por quem te apaixonaste.
Hugo ia responder, mas acabou por se calar. Bem lá no fundo ele sabia que a irmã tinha razão, e como tal percebeu que estava metido numa grande confusão.
- Devo comprar flores? – perguntou ele confuso e numa tentativa de mudar de assunto e conseguir a ajuda da irmã.
- O meu último namorado quando fez merda na nossa relação matou-se para me salvar… Não que eu te esteja a dizer para fazeres algo louco, mas deves fazer algo majestoso.
Hugo percebeu a facada que a irmã lhe tinha dado, e brincar com a sua própria dor era a sua maneira de camuflar os seus sentimentos. Era óbvio que ela no lugar da Isabel não o perdoaria tão facilmente e que ao mesmo tempo o estava a criticar por ele ter estragado tudo.
- Vou pensar em algo… - disse ele abraçando a irmã. – Vamos ter com o rui?
- Sim. – respondeu ela, depois parou e fitou o irmão. – Ela parece ser uma rapariga porreira, tenta não estragar tudo…
- É o que estou a tentar fazer…"

 

Se ainda não tiveste a oportunidade de ler...   

1º Capítulo | 2º Capítulo | 3º Capítulo | 4º Capítulo | 5º Capítulo | 6º Capítulo7º Capítulo | 8º Capítulo9º Capítulo | 10º Capítulo | 11º Capítulo | 12º Capitulo | 13º Capítulo | 14º Capítulo | 15º Capítulo | 16º Capítulo | 17º  Capítulo | 18º Capítulo | 19º Capítulo | 20º Capítulo | 21º Capítulo | 22º Capítulo | 23º Capítulo |

 

Acompanhem as novidades através do Facebook | Instagram | Youtube | Pinterest

30 comentários:

  1. Gostei :)

    Beijinhos de Bom fim de semana

    ResponderEliminar
  2. Como foi bom ler mais um capítulo, um bom fim de semana,
    Contimua que tenho adorado bastante
    Beijinhos
    Novo post
    Tem Post Novos Diariamente

    ResponderEliminar
  3. Mais um capítulo deste interessante romance aqui nos deixas.

    Excelente partilha, amiga Teresa.

    Votos de um excelente fim de semana!

    Beijinhos.

    Mário Margaride

    http://poesiaaquiesta.blogspot.com

    ResponderEliminar
  4. I'm enjoying the story!

    Have a great weekend!!!

    ResponderEliminar
  5. Passei para te desejar um bom fim de semana :)

    ResponderEliminar
  6. A minha sincera opinião é que se calhar já merecia um fim, e começar-se a pensar noutra
    :-)

    ResponderEliminar
  7. Bom e agradável dia
    Bom fim de Semana
    e bons momentos é que alegram os olhos Teresa ´.~`)
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  8. Olá Teresa.
    Passando por aqui, para desejar uma feliz semana, com muita saúde!

    Beijinhos.

    Mário Margaride

    http://poesiaaquiesta.blogspot.com

    ResponderEliminar
  9. É muito difícil prender os leitores numa história durante muito tempo. E isso nada tem a ver com a qualidade dos textos. O problema está nos leitores, que estão sempre com muita pressa e, por isso, esperam demorar muito pouco tempo no post. Com os poemas, mesmo sendo de leitura muitíssimo mais rápida, também há leitores que não perdem tempo com a sua leitura. Sei disso por experiência própria.
    Em qualquer caso não desanime, o importante é o que escreve. E eu, por exemplo, estou a gostar.
    Para salvar uma mulher é sempre preciso fazer algo que a surpreenda agradavelmente. E mesmo assim não é certo que a relação se restabeleça.
    Boa semana, amiga Teresa Isabel.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  10. Muito interessante!! :)

    https://www.heyimwiththeband.com.br/

    ResponderEliminar

Instragam