Translate

sexta-feira, 22 de outubro de 2021

# Capítulo # Linha Desfalecida

Linha Desfalecida - 8º Capítulo

Estou a entrar naquela fase da história em que começo a ter dúvida sobre o rumo que devo seguir... Por vezes sinto-me responsável pelo que acontece às personagens da histórias que escrevo e por isso dou por mim a pensar várias e várias vezes se quero ou não que determinado acontecimento, aconteça ou não.

"Rui caminhou ao longo do café até à mesa mais distante. Tinha-a visto junto ao portão da escola, e tinha-a visto entrar segundo depois dele no café. Não pediu licença. Sentou-se e fitou a Samanta que estava sem reação.
- Porque é que me estás a seguir? - perguntou ele.
- Eu? Deves estar a fazer confusão. - respondeu ela acendendo um cigarro.
- Deixo-te nervosa. - perguntou ele aproximando-se dela.
Ficou admirado quando ela não se afastou. Em vez disso ela afastou o cabelo castanho da frente do rosto e fitou-o com os seus olhos castanhos escuros.
- Nem por sombras. Mas eu devia deixar-te a ti nervoso! - atacou ela.
Rui sentiu como se tivesse levado um soco no estômago.
- Sabes bem quem eu sou. Salvaste a minha blusa de seda a sexta-feira passada.
- Sei muito bem quem és. Lembro-me de ti. Mas acho que uma blusa não é motivo para me seguires.
- A blusa não é, mas eu sei que fizeste alguma coisa, só não o sei provar sem parecer ridícula.
O Rui deu uma gargalhada e pediu-lhe que se explicasse. Ela tirou da carteira o esquema que fizera no dia depois do incidente e mostrou-lho.
- Era fisicamente impossível teres me afastado se não soubesses previamente o que ia acontecer.
- Estás a sugerir que eu tenho super poderes?
- Não estou a sugerir nada. Estou apenas a afirmar que alguma coisa aconteceu.
- Pois claro que sim. Olha esquece isto tudo e vive a tua vidinha...
- Estás a gozar comigo?!
Samanta ia começar a protestar quando percebeu que o rapaz estava muito tenso. Ele olhou em volta e levantou-se.
- Marcelo está na hora de fechar! - gritou ele. depois debruçou-se sobre a Samanta e segredou-lhe. - Sai daqui já!
- Tu não mandas em mim! - gritou ela.
- Já!!!

Rui começou a fechar os estores, e o dono do café deu ordem que ia fechar, o irmão da Viviana e os amigos foram os primeiros a sair, um deles deixou uma nota em cima da mesa e todos saíram. Os jovens que estavam numa das mesas junto à porta também saíram, Isabel não percebeu se eles já tinham feito o pagamento ou se aproveitaram para sair sem pagar. Alexa e Hugo continuaram sentados, mas estranhamente tensos. Enquanto procurava uma moeda para pagar o café viu Viviana a deixar uma moeda sobre a mesa e sair em direção à porta. Azar dos azares, com a pressa a moeda que procurava caiu e rolou pelo chão. Isabel baixou-se para a apanhar, quando se levantou, apenas teve tempo de ver o Rui a fechar a porta, mas antes que ele conseguisse um encapuzado forçou a entrada empurrando-o e fechando a porta depois de entrar.
- Mãos ao ar! – Disse ele empunhando uma pistola no ar. – Isto é um assalto!
Isabel sentiu-se estarrecida, e ficou imóvel de pé junto ao balcão. Atrás do balcão o dono disse.
- Tem calma, não faças nada… Nós tratamos de tudo! – disse o Marcelo.
- Nós? – perguntou a Isabel entredentes. – Não vejo aqui muitas pessoas que nos possam ajudar…
- Confia em mim por favor. – pediu o Marcelo enquanto o assaltante se aproximava. Na mesa do canto, Samanta estava imóvel e tentava passar despercebida. Na mesa mais perto do balcão Alexa e Hugo observavam tudo atentamente.
- Abre a caixa!!! – gritou o assaltante.
- Porque não fazemos as coisas com calma… - Sugeriu o Marcelo.
- Dê-lhe a porcaria do dinheiro… - disse a Isabel assustada, estava na mira da arma.
- Marcelo, a menina tem razão! – gritou o Rui junto à porta. Tinha visto pelos estores a Viviana e o irmão perceberem o que se estava a passar e pela velocidade com que estavam a falar ao telefone era bem provável que estivessem a relatar tudo à polícia.
- Dá-me o dinheiro da caixa… - ameaçou o assaltante apontando a arma ao peito de Isabel que soltou uma expressão de terror. – Ou aqui a menina vai acabar com uma bala no peito.
- Deixa a rapariga em paz e eu dou-te todo o dinheiro! – disse o Marcelo abrindo o caixa. Começou a tirar as notas e a coloca-las em cima do balcão.
Isabel sentia o corpo todo a tremer, contudo se alguém lhe tivesse perguntado se sentia com medo ela teria respondido que não, apenas sentia um pequeno nervoso miudinho e uma súbita vontade de olhar o assaltante nos olhos e lhe dizer para se ir embora.
Quando deu por si o assaltante tinha pegado nas notas que estavam sobre o balcão e meteu-as nos bolsos, dirigindo-se depois para a saída segurando ainda a arma, mas agora de uma forma mais descuidada, então do nada Alexa saiu disparada da sua mesa, atirando-se sobre ele, numa das mãos levava uma faca que tinha tirado do balcão e uso-a para a espetar no braço que segurava arma, depois disso, deu-lhe um soco tão certeiro que o deixou a dormir.
Em vez de gritarem ou fugirem, as 6 pessoas que estavam no café ficaram perplexas e trocaram olhares, Isabel caminhou até junto do assaltante, sentia como se alguma coisa no homem desmaiado, ferido e agora com o braço cheio de sangue a estivesse a chamar, subitamente sentiu fome, afinal de contas à quantos dias não conseguia comer? Preparava-se para se ajoelhar quando o corpo bem constituído de Alexa se colocou à frente dela.
- Não aqui! Não agora! – disse a irmã do Hugo segurando Isabel pelo ombros. – Hugo tira-a daqui!
- A polícia está chegar! – disse o Rui, depois virou-se para a Samanta – Se quiseres evitar problemas e burocracias com a policia vai com eles! – disse apontando para o Hugo e Isabel que se dirigiam à porta das traseiras.
Samanta assentiu e levantou-se a correr para seguir o Hugo que encaminhava Isabel ainda em estado de choque pela porta das traseiras. Contudo ainda antes de chegar a porta e ao passar pelo balcão viu algo que a deixou surpreendida, na caixa e nas mãos do Marcelo, estava ainda uma quantidade considerável de dinheiro que o assaltante tinha ignorado."

 

Se ainda não tiveste a oportunidade de ler...   

1º Capítulo | 2º Capítulo | 3º Capítulo | 4º Capítulo | 5º Capítulo | 6º Capítulo7º Capítulo |

 

Acompanhem as novidades através do Facebook | Instagram | Youtube | Pinterest

25 comentários:

  1. Estou super curiosa, porque é que o ladrão ignorou o dinheiro? Tenho um palpite, mas não digo.
    Bom fim de semana
    Coisas de Feltro

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ia adorar conhecer a teoria, se pretenderes podes enviar-me a tua ideia por mensagem privada ou e-mail!

      Eliminar
  2. Curioso este romance que aqui vais deixando excertos.
    Estou curioso para ver como termina.

    Votos de um excelente fim de semana, amiga Teresa!
    Beijinhos!

    Mário Margaride

    http://poesiaaquiesta.blogspot.com

    ResponderEliminar
  3. Cada Capítulo deixa pistas que alteram o pensamento inicial. Mas está muito bom.
    Parabéns renovados.

    Beijo
    SOL da Esteva

    ResponderEliminar
  4. Aguardamos com ansiedade os próximos capítulos. Bom final de semana.

    ResponderEliminar
  5. Muito bom, gostei de ler mais este capítulo!

    (❁´◡`❁)

    ResponderEliminar
  6. Very interesting..although, I will confess the title puts me off very much.

    ResponderEliminar
  7. Bem
    isto promete
    e espero que não desatem aos tiros ( humor )

    Boa e bela noite com alegria e Domingo feliz Teresa
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  8. Olá Teresa!
    Passando por aqui, para desejar uma ótima semana com tudo de bom.
    Beijinhos!

    Mário Margaride

    http://poesiaaquiesta.blogspot.com

    ResponderEliminar
  9. Dear friend! Let me read whole 8 chapters then write comments. Ok!

    ResponderEliminar

Instragam