Translate

sexta-feira, 13 de agosto de 2021

# crónica # praia

Crónica | Oficialmente aberta a época balnear do Tuga!

Quando dizemos a alguma pessoa que vamos à praia, os pensamentos dessa pessoa, relativamente a esse assunto varia de acordo com a nacionalidade, se forem espanhóis de certeza que concordam com as maravilhas das praias falando outras tantas maravilhas da costa espanhola, se forem ingleses, podem se mostrar um pouco confusos com o conceito de praia, sabem o que é, mas não frequentam (pelo menos por lá), e se eventualmente tiverem esta conversa com o suíço, vão perceber que o conceito de praia é algo parecido com uma lenda urbana, sabem que existe mas nunca a viram.


se estiverem a falar com um português, ai a conversa é outra! Aliás tuga é do pior! O tuga é tão simples e básico que já todos sabemos como é que esta crónica vai acabar.

O português, não vai à praia. O português vai para um “spot porreiro” bronzear. Apanhar sol é para os fracos. E qual camarão qual quê! Na verdade, o tuga não apanha sol até ficar como um camarão! Tuga que é tuga, fica como uma lagosta, até porque o valor e categoria do crustáceo, é mais cara e melhor.

Ser um português chique, ou cá entre nós novo-rico, implica fazer férias na praia de mar e de rio. Tudo estrategicamente pensado. Acordam lá por volta das 9 da manhã e só às 10 é que chegam à praia. Demoram todo o tempo a montar uma espécie de acampamento e a barrarem-se em protetor solar, tipo torradas acabadinhas de sair. Sacam das lancheiras e enchem o bandulho com todo o tipo de comida que possas imaginar, e depois lá se deitam a digerir antes de irem molhar os pés.

Aliás nenhum acampamento de praia está completo sem uma quantidade considerável de guarda-sóis estrategicamente posicionados para proteger as várias malas térmicas que guardam os rissóis, as cervejas, e o cozido à portuguesa para o lanche ajantarado.

Outra coisa engraçada de se ver nas praias, é que pode estar um calor soviético (sabem como é, aqueles 14º que aos russos parecem os 34º de Faro), mas lá vão as cachopas com os seus biquínis dar uns mergulhos, só para se sentirem Pamelas assim que saem da água.

Ao final da tarde, eis que as famílias completas invadem as praias fluviais. Os homens da família sacam das canas de pesca numa tentativa de arranjar um barbo para o jantar. Isto tudo porque tuga que é tuga e que é chique, faz durante as noites de verão churrascadas na varanda que começam com o peixe acabado de pescar, e acabam nas salsichas frescas. Porque é importante manter-se as tradições, não é verdade?

Ser chique em Portugal implica ainda fazer férias fora de casa. E depois lá vai família inteira passar uma semanita ao parque de campismo, onde ironia da das ironias, levam todas as tralhas que tem pela casa, tornando a sua habitações de férias numa réplica da casa onde vivem todo o ano. Eu pergunto-me, se era para isso não mais fácil ficarem em casa e montarem uma piscina insuflável na varanda, onde as crianças pudessem estufar quando fossem esquecidas pelos adultos que jogavam animadamente às cartas, enquanto bebem uma, duas ou três cervejas… Afinal de contas, o importante continua a ser manter as tradições.

Porque apesar de as férias de verão já não serem o que eram, a verdade é que ainda existem muitos rituais e tradições que duram e perduram, e que apesar de criticarmos, todos nós gostamos de experimentar às escondidas.        

     

Acompanhem as novidades através do Facebook | Instagram | Youtube | Pinterest

54 comentários:

  1. I miss the beach. Haven't been to the beach for a long, long time.

    ResponderEliminar
  2. Por acaso, dispenso bem ir à praia. Adoro passear à beira-mar, mas ficar a fazer praia é algo que não me atrai

    ResponderEliminar
  3. tradition is important in live....
    love summer vacation

    ResponderEliminar
  4. Atualmente não me atrai a praia e muito menos apanhar sol mas... não resisto a uns mergulhos e umas braçadas durante algum tempo!
    Bom fim_de_semana 😘

    ResponderEliminar
  5. Praia aqui no Brasil também depende muito de onde a pessoa vive (porque o país é gigante e a gente tem de tudo). No meu caso, ir à praia é um evento! Quase nunca vou, mas gosto muito!

    No verão (saudades, verão!), o importante mesmo é se divertir!

    Um beijo,
    Fernanda Rodrigues | contato@algumasobservacoes.com
    Algumas Observações
    Projeto Escrita Criativa

    ResponderEliminar
  6. Oi Teresa,
    Gosto muito de ver seus relatos comparando as realidades daqui com as daí. Acho super interessante ^^
    Bjos
    Kelen Vasconcelos
    https://www.kelenvasconcelos.com.br/

    ResponderEliminar
  7. Extraño ir a la playa. Te mando un beso y buen fin de semana

    ResponderEliminar
  8. I think I like the chic Portuguese way haha, especially the sound of all that food :)

    ResponderEliminar
  9. Muito interessante.
    Abraço, saúde e bom fim de semana

    ResponderEliminar
  10. Crónica magnífica. O bom retrato, nítido e a cores.
    Gostei.Parabéns.

    Beijo
    SOL da Esteva

    ResponderEliminar
  11. Gostei da crônica, aqui no Brasil todos os brasileiros amam uma praia, eu adoro, bjs.
    http://www.lucimarmoreira.com/

    ResponderEliminar
  12. Olá Teresa,

    Muito interessante ler o seu texto. A ideia de praia certamente varia de acordo com a localização.

    Eu até gosto de ir à praia, mas não consigo ficar muito tempo exposta ao sol.

    Um abraço!

    ResponderEliminar
  13. Adorei Teresa! 😄 Tem muito humor no post!
    Eu amo praia! E aqui onde moro ir a praia
    é o programa oficial do domingo!
    Minha cidade é litorânea então...
    e é chamada cidade do sol!
    🌅🌊😍

    ResponderEliminar
  14. Já tive assim a semana passada: praia, campismo, piscina
    Agora passo a minha vez a outros ahah
    O que é bom acaba depressa!

    ResponderEliminar
  15. me ha parecido super interesante, gracias por compartir la cronica

    ResponderEliminar
  16. Puedo dar fe, porque voy mucho a las playas portuguesa sobre todo del Sur, de que son excelentes y limpias; además su gente es muy hospitalaria, cosa que es de agradecer.
    No tomo el sol pero, disfruto de los baños, aunque cada vez menos (cosas de la edad); y cada vez más me gustan los chiringuitos cercanos a la playa, donde se puede comer excelente pescado fresco.
    Muy amena tu entrada, Teresa.
    Besos.

    ResponderEliminar
  17. Olá!
    Opa, não gosto muito da praia, mas às vezes sinto falta O.o

    ResponderEliminar
  18. Confesso que tenho saudades da praia... e pelo segundo ano consecutivo, não passarei o Verão, junto ao mar... com muita pena minha... por ser um local, super frequentado, para onde costumo ir... e nestes tempos de pandemia... ainda não dá!...
    Mas de qualquer forma, também não sou uma tuga filiada no sindicato... :-)) chego à praia, por volta das 16h... e gosto de sair sempre bem depois das 20h, para apanhar o por do sol... e o sossego da tarde...
    Adorei a tua crónica, que satiriza, aquele modo de estar mais típico, do português tradicional...
    Um beijinho! Feliz domingo, e continuação de um fantástico Agosto!
    Ana

    ResponderEliminar
  19. Oi, tudo bem?
    Amei a crônica! Consegui sentir a sensação das praias e as famílias reunidas, maravilhoso!
    Brasil tem muitas praias e é visto que muitos amam praias, por aqui, mas nunca fui fã, mas acho que tradições sempre são importantes. Com algo ou outro, amo nossa tradição do pão de queijo, por exemplo.

    Beijos, Vanessa
    Leia Pop

    ResponderEliminar
  20. Quase nunca vou à praia, mas acho uma ótima opção de lazer.
    big beijos
    www.luluonthesky.com

    ResponderEliminar
  21. Está a falar do século XIX, amiga? A realidade é tão diferente agora...
    Uma boa semana com muita saúde.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olha que não está assim tão diferente, basta ver com atenção!

      Eliminar
  22. Estou com a Andreia, praia para mim é para passear, pois dispenso ficar muito tempo esparramada na toalha, nunca gostei muito :P

    ResponderEliminar

Instragam