Translate

sexta-feira, 26 de março de 2021

# mulheres # rádio

As meninas do rádio

Aposto que quando leste este título pensaste que me referia a um grupo de mulheres que se destacaram na rádio, ou de uma grils band de sucesso, mas infelizmente, esta não é uma história feliz, mas com uma lição valiosa.

Em 1917 a fábrica United States Radium em Orange, Nova Jérsia, era conhecida pela produção de relógios, principalmente relógios com ponteiros luminosos pintados com rádio, um componente químico altamente radioativo contudo, em 1917, a letalidade deste componente ainda era desconhecida, por isso as operárias da empresa, trabalhavam diretamente com ele sem qualquer tipo de proteção.

Claro que foi dito a estas mulheres que a tinta que elas estavam a usar era inofensiva, aliás, estas mulheres incentivadas a molhar os pincéis na língua, para que a pintura que elas estavam a realizar nos relógios fosse mais detalhada.
Como elas acreditavam que a tinta era inofensiva, e como a fluorescência que a tinta transmitia era uma novidade, muitas destas mulheres usavam ainda esta tinta para pintar os lábios, unhas, e algumas ainda, usavam os seus melhores vestidos para ir trabalhar à sexta-feira para que a tinta caísse neles, e durante a noite transmitisse a sua substancia brilhante.

A Corporação U.S. Radium, contratou na época cerca de 70 mulheres para as mais variadas tarefas, entre elas o manuseamento de rádio, contudo segunda consta, tantos os donos, como cientistas cuidadosamente evitavam qualquer tipo de contacto com o elemento.

Apesar de desconhecida a quantidade de mortos causadas por esta prática, a verdade é que muitas trabalhadoras ficaram doentes por causa da exposição à radiação.
Muitas dessas mulheres começaram a sofrer de anemia, a fraturar os ossos e sofreram ainda de necrose da mandíbula, uma condição que se tornou conhecida como mandíbulas de rádio.  

A Corporação U.S. Radium, e outras empresas que trabalhavam com o rádio, rejeitaram todas as informações e alegações de que as trabalhadoras estavam expostas a rádio, e por algum tempo os médicos e os pesquisadores não divulgaram os dados a pedido das empresas, atribuindo as mortes a outras causas como a sífilis.

O caso das meninas do rádio foi um dos primeiros em que a empresa foi responsabilizada pela saúde dos funcionários. Isso ajudou a que fossem criadas regulamentações e se estabelecesse o conceito de saúde ocupacional, para regularizar as condições de segurança do trabalho.

 

Acompanhem as novidades através do Facebook | Instagram | Youtube | Pinterest

18 comentários:

  1. Gostei de te ler!:)
    -
    Coisas de uma Vida.
    -
    Beijos e um excelente fim de semana.

    ResponderEliminar
  2. Olá! Não sabia nada disto mas é bom aprender, obrigada por partilhar. Abraços-

    ResponderEliminar
  3. Muito interessante esta partilha
    Abraço, saúde e bom fim de semana

    ResponderEliminar
  4. Desconhecia
    e muitas outras atrocidades
    vieram à luz do dia... (ex. Sortelha termas)

    Beijinhos e um belo fim de Semana Teresa.

    ResponderEliminar
  5. Uau, não sabia dessa história. É algo que temos que pensar realmente!
    beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  6. Não conhecia essa história mas é arrepiante se nos lembrarmos que muitas das melhorias nas condições de trabalho só se registaram depois de acidentes que puseram em causa a vida dos trabalhadores.
    Beijo
    Coisas de Feltro
    Coisas de Feltro

    ResponderEliminar
  7. Nossa...que coisa! Fiquei com muita pena destas mulheres que morreram por causa de radiação...E todos os envolvidos calados sem dizer a verdade! Revoltante! Pelo menos hoje em dia temos mais proteção de saúde onde trabalhamos. Bjos!😘

    ResponderEliminar
  8. Oi Teresa, tudo bem?

    Nossa que história heim! Não conhecia, mas fiquei impressionada. Casos assim nos fazem pensar.

    Beijos;***
    Ariane Gisele Reis | Blog My Dear Library.

    ResponderEliminar
  9. Oiee! Tem um filme sobre isso? A história não me é estranha!
    Terrível, coitadas dessas mulheres :(

    Blog ChocoPink / Instagram / Facebook


    ResponderEliminar
  10. Por acaso ja tinha ouvido falar destas grandes mulheres :)

    ResponderEliminar
  11. Não fazia ideia, mas realmente é uma história chocante.

    ResponderEliminar
  12. Interessante essa história, até então desconhecida por mim. Desde sempre tem abusos no trabalho né? Mas que bom que existem leis que protegem os trabalhadores atualmente.

    Boa semana!

    Jovem Jornalista
    Instagram

    Até mais, Emerson Garcia

    ResponderEliminar

Instragam