quarta-feira, 6 de novembro de 2019

# isabel # primeira pessoa

Eu sou a única Isabel!!!

Quando a BFF esteve cá, numa das nossas saídas acabamos por recordar algumas das nossas aventuras do tempo de escola.
No que diz respeito a memórias engraçadas e de chorar a rir, tanto eu como ela estamos de acordo, a história do "eu sou a única Isabel" está no pódio e dificilmente vai sair de lá. Por ser um bom momento e uma boa memória, achei que seria verdadeiramente engraçado partilhar esta história com vocês.
Tenho que começar por vos explicar que eu e a BFF nos conhecemos no 10º anos. Nessa altura, havia na escola dois rapazes (já finalistas) muito giros e jeitosos, que ironicamente também eram super amigos.
Claro que eu e a BFF fizemos logo as divisões para que ambas ficássemos satisfeitas, porém, e porque eu obviamente tenho o gosto peculiar por dificultar as coisas, levei a brincadeira mais longe e depois dos mais vários e ousados planos, consegui arranjar o numero de telemóvel do "meu" jeitoso.
Durante as férias de natal, tomei a liberdade de lhe mandar uma mensagem, mas como queria tornar as coisas mais difíceis e claro tinha vergonha na cara, andei o tempo todo a manter o anonimato. Por isso e para não ser mentirosa, eu disse-lhe que o meu nome era Isabel.
É óbvio que conversa puxa conversa e um belo dia, depois das aulas começarem, ele perguntou-me em que turma eu andava. Como eu estava camuflada pelo meu segundo nome, respondi prontamente a verdade.
Só a meio da aula de inglês (porque naquela idade não queremos saber das aulas para nada), é que contei à BFF o desenrolar da conversa que estava a ter o jeitoso. E só ai é que percebi o meu erro. Estávamos em janeiro, as pautas com as notas (sim, eu ainda sou do tempo em que as notas do final do período eram afixadas nas escolas), estavam afixadas.
Tentei manter a calma, afinal não havia nenhuma Isabel na turma, mas ai percebi o meu segundo erro naquele dia. A não ser que ele fosse muito burro é que não ia ver o segundo nome de todas as raparigas da turma, aí ia ver o famoso nome "Teresa Isabel" (ainda por cima com negativa a educação física, mas eu depois conto-vos esta história).
Respirei fundo e coloquei a cabeça a trabalhar em modo turbo, a BFF já começava a rir-se do meu plano furado ao mesmo tempo que ficava preocupada com o que iria acontecer a seguir. Calmamente (como quase sempre nestas situações) eu disse: "Calma, o plano ainda não está furado, somos 10 raparigas na turma, de certeza que mais alguma se deve chamara Isabel! Aliás tenho quase a certeza que a Amanda, é Amanda Isabel".
Claro que de forma sábia, a BFF não ficou convencida. Por isso, assim que a campainha tocou para o intervalo (no nosso caso era a ultima aula da manhã), saímos disparadas para o pavilhão principal onde as pautas estavam afixadas, era imperativo resolver o mistério da Isabel, e perceber se haveria mais alguma, ou se o meu disfarce estava as vias de ser descoberto.
Enquanto seguíamos a passo ligeiro (porque correr dava muito trabalho e nas vistas), íamos elaborando um plano C (lembrem-se que o plano B era haver outra Isabel na turma), mesmo que eu fosse a única Isabel, ele não ia ter, pelo menos de forma rápida como saber quem era a Teresa Isabel, no meio de uma turma maioritariamente feminina, por isso eu teria tempo de reagrupar e elaborar um novo plano, para me salvar da vergonha.
Esse era o plano, mas assim que eu entrei no pavilhão, deixando a BFF cá fora de vigia, percebi que só o plano C me ia salvar o dia. Eu era efetivamente a única Isabel!
Como devem imaginar vim me embora do pavilhão chateada, eu diria mesmo que deveria estar a marchar de tão chateada que estava com o facto de o meu plano ter falhado. Era uma falha vergonhosa, principalmente para mim que me considerava o génio de todas as operações. Estava tão chateada enquanto caminhava para a entrada que nem vi a BFF com "cara de caso" do outro lado do vidro da porta.
Fiquei com a sensação que ela estava a tentar dizer-me algo, mas eu estava (e volto a repetir) tão chateada com o meu erro, que nem reparei nisso nem nos dois rapazes que passavam a porta no sentido inverso.
Como a porta não era das maiores acabei por dar um valente encontrão (a BFF ainda hoje diz que foi uma valente carga de ombro) a um deles, enquanto chateada gritava para a BFF "Eu sou a única Isabel!!!"
Só percebi que alguma estava errada quando a expressão da BFF mudou. Ela ficou muito séria e com uma verdadeira cara de caso, e então aproximou-se de mim muito calmamente e segredou "acabas-te de ir contra ele".
Agora é que nem o plano C me safava. Tinha ido contra ele no exato momento em que gritava "Eu sou a única Isabel". Pior que isto era mesmo uma placa luminosa sobre a minha cabeça!
Nesse momento, por incrível que possa parecer deixei de estar chateada. Olhei para a BFF e desatei a rir às gargalhadas.
Ela também se começou a rir às gargalhadas e cada gargalhada que uma dava, a outra ria-se ainda mais gerando um ciclo vicioso. Acabamos mesmo por ficar de joelhos no chão pois as pernas falhavam de tanto rirmos. Quando demos conta, toda a gente à nossa volta estava a rir, mas ninguém sabia o motivo. Apenas eu, ela e o jeitoso sabíamos a história por trás de todas as gargalhadas.
Como podem imaginar, eu era a única Isabel, mas era feliz e conseguir pôr uma grande parte da escola a rir às gargalhadas.

Ah sim! E para quem ficou curioso, era só para dizer que não se passou nada com o jeitoso, pelo menos não naquele ano. No ano seguinte eu mudei de escola e ele também, ainda tivemos umas trocas de olhares e sorrisos, mas eu já estava noutra!

Acompanhem as novidades através do Facebook | Instagram | Twitter |

26 comentários:

  1. Hmmm eu acho que ja tinhas contado esta historia... :/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não foi bem esta, mas quase, usei esta história para o desafio CAVEME onde tinha que contar uma história real parcialmente alterada, mas esta aqui é a original!

      Eliminar
  2. é uma delícia mesmo lembrar os tempos de escola, adorei essa história

    www.tofucolorido.com.br
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderEliminar
  3. Kkkk uma historia muito boa de se ler.. eras cómica :))

    Hoje-:-Queria sentir-te na minha realidade

    Bjos
    Votos de uma óptima noite.

    ResponderEliminar
  4. Estás ai no descanso,
    nas mãos tens uma chávena
    em algo estarás pensando
    tenhas uma noite sossegada!

    ResponderEliminar
  5. Que história interessante, adorei conhece-la

    Beijos
    www.pimentadeacucar.com

    ResponderEliminar
  6. É sempre bom quando se tem amigos com tanto ano
    que historia
    Beijinhos
    Novo post
    Tem post novos todos os dias

    ResponderEliminar
  7. Lá te desenrascaste :) também tenho dessas "histórias" lool hoje riu de algumas e que saudades me deixam :(
    Bjxxxx

    ResponderEliminar
  8. Adorei a história haha
    www.achatadebatom.com

    ResponderEliminar
  9. Gostei da historia
    Momentos bonitos
    Bjs
    Kique

    Hoje em Caminhos Percorridos - Queria que as mulheres me amassem pelo que sou...

    ResponderEliminar
  10. Oh gostei tanto de ler :) adoro histórias do tempo da escola. Que saudades <3 Está engraçada, sim senhora! E estava, sim, curiosa para saber qual tinha sido o desfecho :P

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já agora, só a título de curiosidade, o meu segundo nome também é Isabel e também troquei msgs com um rapaz na altura da escola em que me identificava com o segundo nome :P a diferença é que ele não andava lá ;)

      Eliminar
    2. Ah ah ah nós as "Isabel" fazemos dessas coisas he he he

      Eliminar
  11. Gostei de ler esta interessante história minha amiga e aproveito para desejar a continuação de uma boa semana.

    Andarilhar
    Dedais de Francisco e Idalisa
    O prazer dos livros

    ResponderEliminar

Instragam