Translate

sexta-feira, 11 de janeiro de 2019

# primeira pessoa # vergonha

Uma questão de vergonha

Confesso que quando escrevi o post "Uma questão de peso" não estava à espera receber tantas mensagens de apoio, e isso deixou-me feliz, pois também percebi que existem muitas pessoas a passar por situações idênticas. Esse apoio deu-me coragem para voltar a falar do assunto e responder a algumas perguntas que me foram colocadas. 

Desta vez não me vou focar na questão do peso, mas sim na vergonha que sentia dia após dia.
Inicialmente começou por ser doloroso sair e conhecer pessoas novas. Raramente saia de casa porque eu sabia que se fosse a algum lado as pessoas me iam julgar. Quando ia a um café com os amigos ou a algum evento via sempre alguém olhar-me com um olhar de critica.
A situação foi-se agravando, evitava comer em publico, optando muitas vezes por ir buscar comida a um drive ou mandando vir entregar em casa e nunca era eu que abria a porta, tinha medo de voltar a ouvir "a tipa gorda está a tentar manter a linha".
Se não ia comer a sítios com os quais não estava familiarizada ia sempre em horários de pouco movimento para me cruzar com o mínimo de pessoas possível. Eu, que adorava comer via agora na comida um ato solitário. Simplesmente tinha vergonha de comer.
O maior problema surgiu quando eu tive que enfrentar a realidade, tinha estado desempregada durante grande parte do meu aumento de peso, mas agora estava na hora de voltar ao trabalho. Tinha de trabalhar, mas tinha vergonha, não queria que as pessoas olhassem para mim e dissessem como muitas vezes ouvi "coitada! Que gorda!", ou então "ela até é bonita, pena ser tão gorda". Nunca vou esquecer estas frases.
O mais difícil foi aceitar que não conseguia ter prazer quando tinha relações sexuais. Evitava ter relações e quando o fazia era sempre vestida e de luz apagada. Tinha vergonha que o meu marido visse o meu corpo, e mesmo depois do divórcio foi complicado envolver-me com alguém. Não conseguia, tinha vergonha.

Estava bem no meio de um buraco negro do qual não conseguia sair, era uma dor tão grande ter vergonha e nojo do meu corpo que sair para caminhar era doloroso.
Só quando a medicação começou a fazer efeito e vi os primeiros quilos desaparecerem é que consegui reunir coragem para procurar um emprego, ir a restaurantes, conhecer pessoas e sair com rapazes, mas mesmo assim existem dias que me lembro dessa vergonha, ainda a sinto, mas sei que estou melhor, sei que aos poucos vou superar.

Acompanhem as novidades através do Facebook | Instagram | Twitter |

26 comentários:

  1. É triste, estúpido, ignorante as pessoas com peso a mais serem olhadas de parte.
    Como se toda a gente fosse obrigada a ser alta, magra, loira e de olhos azuis e como se tal fosse o ideal de beleza.
    Beijinhos e caga nisso.
    Bom fim-de-semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tens toda a razão!«, eu por acaso até sou alta e meia loira, só me falta ser magra e ter olhos azuis hehehhehe

      Eliminar
  2. Se nunca se despia à frente do marido é claro que o divórcio foi uma situação normal ... sem vergonha.
    .
    Feliz fim de semana.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pessoalmente não acredito que isso seja um motivo normal para o divórcio, mas num mundo cheio de anormais nunca se sabe!

      Eliminar
  3. Penso que hoje em dia o excesso de peso sobretudo em gente jovem leva à questão de haver necessidade de se ajudar quem precisa! Bj

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Principalmente no campo psicológico, porque a questão do peso eu resolvi, mas sei que psicologicamente isto me deixou algumas marcas, mesmo depois de ter emagrecido.

      Eliminar
  4. Cada um só mostra aquilo que tem,
    do seu corpo ninguém deve ter vergonha
    seja lá de que maneira for, convém
    de manhã ao levantar-se lavar a fronha!

    Bom fim de semana com tudo aquilo que mais desejas!

    ResponderEliminar
  5. Temos que nos amar, e parar de pensar tanto na opinião dos outros, mas sei o quanto algumas vezes é difícil. Mas precisamos passar por cima das coisas ruins.

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A ideia destes posts que tenho vindo a fazer é que nem sempre se trata de amor próprio... Trata-se de uma pessoa simplesmente não saber e não conseguir lidar com as coisas...

      Eliminar
  6. Como sempre digo temos de gostar de nós como somos e não ligar ao que os outros digam, és linda de qualquer maneira
    Beijinhos
    Novo post //Intagram
    Tem post novos todos os dias

    ResponderEliminar
  7. Não devemos ter vergonha de ser como somos...Gostei de ler-te:))

    Hoje :- Ritual, entre a natureza e o amor

    Bjos
    Votos de uma óptima noite de Sexta - Feira.

    ResponderEliminar
  8. Consigo compreender-te, um pouco porque fui vitima de bullying na escola por ser gordinha e durante muitos anos odiei-me, assim como descreves.
    Desejo-te força e ama-te, és linda e sei que vais conseguir voltar a olhar ao espelho e gostar do que vês.
    Beijinho

    doce-branca.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  9. É mesmo angustiante e, até, sufocante, além de que esta vergonha nos limita. Mas, por mais que tentemos, há alturas em que acaba por levar a melhor :/
    Um passo de cada vez, chegarás a bom porto!

    r: Também adoro as cores escuras *-*

    ResponderEliminar
  10. As pessoas são tão más... o importante é não ligar!
    Vais ver que, aos poucos, vais chegar cada vez mais longe! Força! :D
    beijinhos

    www.amarcadamarta.pt

    ResponderEliminar
  11. Espero que consigas superar...
    Muitos vezes é preciso ignorar os outros...

    Isabel Sá
    Brilhos da Moda

    ResponderEliminar
  12. Isso acontece porque fomos educados assim e quem disser que nunca "julgou" ou disse: xiiii que gorda, ta a mentir. Eu pessoalmente também ja o dise, quando eu propria luto contra o excesso de peso. Mas basta ter cuidado com a alimentação que chegamos lá.
    Tamos juntas ;)
    Feliz fim de semana linda.
    Bjxxxx

    ResponderEliminar
  13. Nunca passei por isso, não posso dizer que saiba o que é, mas já passei pelo oposto. Sempre fui magra e sempre tive tendência para emagrecer, e não era porque não comia, era mesmo o meu organismo que assim funcionava, e também cheguei a ouvir coisas menos agradáveis. Enfim, o importante é que nos sintamos bem connosco e não ligar às opiniões alheias. Além disso, sermos saudáveis claro. És uma mulher de coragem, parabéns*

    ResponderEliminar
  14. Entendo perfeitamente, mas... já viste que nós não somos só um corpo ou uma cara? Somos um todo e temos qualidades para além da parte física. E tu tens óptimas qualidades, por exemplo, bom coração, capacidade de trabalho, disciplina, etc.
    Mal estaríamos se não fosse assim, porque ninguém é perfeito!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  15. Gostei imenso de te ler... pois tenho a certeza, que o teu problema será o de tanta gente também!...
    E sabes que mais? Estás super gira, nessa foto!...
    Como já te disse... não deves ligar a opiniões alheias, se não forem construtivas... deves perder o peso, que achares que possa ser um benefício para ti... e à velocidade que o teu organismo assim o puder fazer... e o que é facto, é que gradualmente tens vindo a ganhar a batalha... e isso é o que importa...
    Beijinhos!
    Ana

    ResponderEliminar

Instragam