Translate

domingo, 16 de dezembro de 2018

# #ontemesomemoria # #pequenabonecadetrapos

Guest Post: Resgatar todas as Histórias de Amor

Primeiro quero agradecer à Teresa por este convite carinhoso para a rubrica Guest Post.
Chamo-me Sandra Reis, sou Professora do 1º Ciclo, não estou colocada há alguns anos, mas sim, sou, o meu coração continua nesse sítio, cheio de mesas, crianças e um quadro negro cheio de letras a giz. Tenho duas #PrincesasSereiasFadasReguilasFofinhas. Muitos me conhecem #desdesempre como defensora #atéàsúltimasconsequências dos Animais e das Crianças. Os primeiros blogues que criei têm sido direcionados para ajudar, de alguma forma, os Animais e as Crianças em Portugal. Adoro escrever e pintar, e um dia decidi juntar as paixões todas e comecei a escrever e a ilustrar livros infantis, para ajudar associações e sensibilizar as crianças para o respeito por todos os seres vivos, e foi aí que a minha viagem começou.
Uns anos mais tarde, decidi criar um blogue pessoal, onde podia partilhar o que escrevo, o que sinto, penso, entre outras coisas minhas, e criei o  "Deliciosamente Quase Cinderela" . Escolhi o nome Quase Cinderela e não Cinderela apenas, porque as Mulheres não são desenhos animados, mas sim a versão Melhorada e Humana da Cinderela. Não acredito em Príncipes Encantados, mas acredito que podem ser Príncipes Quase Encantados.
Sempre acreditei no amor eterno, no amor que transcende tudo e todos, no amor para além do tempo, no amor verdadeiro. Gostava de o poder acordar no coração de todos porque sinto que se perdeu algures no tempo.
Já não se ama com sofreguidão, com desespero, com dedicação, com a intensidade dos romances, dos poemas e das histórias de antigamente.
Amar com a paixão de Camões, amar com o desassossego de Pessoa e às vezes amar com a tristeza de Pessanha, sermos feliz como somos, é assim que a vida tem o seu valor, em lutarmos pelo mais nobre amor, mesmo que tenha que ser a nado, em sentirmos tudo de todas as maneiras, em aguentarmos quando os passos são mais pesados que as pedras da calçada, em sermos nós próprios, mesmo quando nos sentimos mil pessoas numa só, em sermos capazes de ver até os mais pequenos pormenores, até aqueles que se tornam vulgares no dia-a-dia, em sermos capazes de criar histórias de amor de que nunca ouvimos falar, em sermos capazes de sonhar com Príncipes Encantados mesmo sabendo que não existe nenhum, em voarmos para qualquer lado sem sequer termos asas para voar.
Já não se ama como antigamente, com a dedicação devota, com a cegueira, com cartas de amor, com sonatas e poemas, com a força de um vulcão.
Já não há amores de perdição como o de Simão Botelho por Teresa, não há amores platónicos como o de Camões por Leonor. Já ninguém ama perdidamente como nos sonetos de Florbela Espanca, com as cores e os aromas de Pascoaes, com o romantismo sofrido de Bocage, e é por isso que escrevemos poemas, porque procuramos esse amor que não tem limites no tempo nem no espaço, e a cada verso que o escrevemos, a nossa alma quase que o alcança, quase que o sente por alguns segundos.
Quem me dera poder resgatar todas essas histórias de amor, protegê-las dentro de um frasco de cristal, guardá-las com pétalas santas, da Rainha Santa Isabel, e transformá-las em amores que jamais murchariam com aroma a rosas vermelhas, eternamente belas.
Todas as histórias de amor que a terra viu, dentro do frasco de cristal, seguras, imortalizadas como o amor de Pedro por Inês, beijadas na mão com uma vénia de respeito. E deixá-las libertar a sua fragância, permitindo que vivam eternamente onde as podemos ver e sentir, ouvir, tão intensamente, como o amor de Romeu e Julieta.
Resgatar todas as histórias de amor e dar-lhes um final feliz, mesmo que tenham vivido de sonhos, de desejos, de tristeza e solidão, como uma Gata Borralheira, mas saberem que um dia vão finalmente encontrar um Príncipe ou uma Cinderela Verdadeiramente (quase) Encantados, que irão lutar por vocês, tal como Bartolomeu Dias contra o Adamastor, e tornarão qualquer cabo das Tormentas em Esperança, e vos irão amar para sempre, aconteça o que acontecer.


Muito obrigada Sandra pela tua colaboração, foi um prazer receber-te aqui no meu cantinho.


Acompanhem as novidades através do Facebook | Instagram | Twitter |

18 comentários:

  1. Adoro o blogue da Sandra, principalmente, pela forma como se expressa. Transmite tanto amor pelas coisas - e pelas pessoas - em que acredita, que é impossível ficarmos indiferentes. E este texto? Sublime *-*

    ResponderEliminar
  2. Já não se ama? depende Sandra, acho que ainda se ama. O amor é um sentimento, não uma "coisa" desculpa a minha opinião. Explico um pouco porque falo assim, amor, por um homem? ama-se sim! talvez e aí haverá algum sentido, as mulheres hoje já não são tão sbmissimas e separam quando um homem as trai, por exp, ou não fazem tudo o que eles querem. Há também o amor por um filho um pai uma mãe, aí é acho que é igual. O que a Sandra fala, penso ser o de homem mulher, mas o amor, esse, em minha opinião não é diferente.
    Parabéns pelo texto.
    Bjxxx Teresa

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada.
      A ideia deste texto é aclamar a poesia, a arte, a escrita, os autores e as musas que os inspiraram a escrever as belas histórias de amor que fizeram sonhar milhares, ou milhões, dar ímpeto e valor aos escritores pela forma como um dia mostraram o amor através das palavras.
      Beijinhos

      Eliminar
  3. Conheço e gosto muito de acompanhar o blogue da Sandra, como tal também gostei de ler a participação nesta tua rubrica Teresa! :) Beijinhos
    --
    O diário da Inês | Facebook | Instagram

    ResponderEliminar
  4. Gosto de ler a Sandra e gostei de ler o texto mesmo discordando. Porque eu acredito que ainda há quem ame como antigamente. Os tempos são outros e as pessoas são mais positivas, e isso faz a diferença. O facto de uma pessoa não se matar por amor, não quer dizer que não ame com a mesma intensidade.
    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Elvira.
      É verdade, ainda há muito amor, felizmente.
      A ideia desta prosa é aclamar a poesia, a arte, os autores e as musas que os inspiraram a escrever as belas histórias de amor que fizeram sonhar milhares. Há tantos, mencionei apenas alguns que me marcaram a mim, que desejo louvar pela forma como um dia mostraram o amor através das palavras.
      Beijinhos

      Eliminar
  5. Gostei de conhecer a Sandra :) e sim assino por baixo na sua mensagem, por mais amor neste mundo por favor 🙏🏻
    Beijinhos às duas*
    https://matildeferreira.co.uk

    ResponderEliminar
  6. Muito bem. Gostei de ler:)) Parabéns à Sandra... Adorei.

    Hoje : A sede do meu devaneio

    Bjos
    Votos de uma óptima Segunda-Feira

    ResponderEliminar
  7. Texto interessante e bastante verdadeiro :)

    ResponderEliminar
  8. Já conhecia o blog da Sandra.
    Bonito texto.

    ResponderEliminar
  9. Adoro o blogue da Sandra, que comecei a seguir recentemente!...
    Adorei o post!!! Beijinhos para ambas!
    Ana

    ResponderEliminar

Instragam

Follow Us @soratemplates