Translate

domingo, 30 de setembro de 2018

# #ontemesomemoria # #pequenabonecadetrapos

Guest Post: No meu tempo um blog era assim

Ana Filipa Oliveira. Este é o nome real por detrás d' A Mulher do 31.
Quase perto dos 40, vivo entre Portugal e a Alemanha há 9 anos... mas não estou só neste vai e vém. Tenho a companhia do meu marido e os nossos filhos... um rapaz de 12 anos (quase já homem) e uma menina de 2 anos.
Quando era pequena queria ser "lidista"... a minha profissão de sonho já tinha a ver com as letras: queria ler... ler muito... e ser paga por isso. Formei-me em Ciências da Comunicação, porque apaixonei-me pelo Jornalismo.
Hoje sou uma mulher dedicada à família e sempre com uma vontade imensa de partilhar as minhas ideias&co.
No próximo mês, mais em concreto no dia 23, faz 15 anos que criei o meu primeiro blog. Desde aí até a atualidade muito mudou, e sobretudo nos últimos anos. Queres fazer comigo uma viagem pela blogosfera? Vem daí.

Lá pelo anos 2003 ninguém pensava que aquela nova forma de comunicação disponibilizada de forma gratuita nalgumas plataformas, viria a ser o que é hoje. Nunca me passou pela cabeça poder ter como profissão: blogger. Mas hoje é uma realidade. Não para todos – que dá muito trabalho, mas é uma possibilidade à mão daqueles que são persistentes, apaixonados e criativos.

Objetivos Diferentes
Naquela altura via-se nos blogs um meio de publicar textos - que antes seriam apenas para guardar num caderno dentro de uma gaveta qualquer, ou divulgar uma opinião que de outra forma seria apenas partilhada entre amigos. Com o aparecimento desta ferramenta de comunicação de massas abriam-se novos horizontes. Podíamos chegar a mais pessoas de uma só vez.

Recordo-me bem de quando fui, em 2004, para Angola em missão de voluntariado, o quanto o blog foi meu amigo, pois poupava-me tempo e dinheiro. Bastava-me escrever textos num computador, os quais guardava numa disquete, com a qual de seguida ia a um cibercafé para passar para o backoffice do blog, e assim todos os meus familiares e amigos podiam acompanhar a minha (nossa, que fui acompanhada!) viagem através de um único post.
Este processo parece simples, mas por vezes acabava em frustração! Pois a ligação da internet era péssima, e muitas vezes o servidor do blog estava em baixo, ou ainda a disquete sofria subitamente de algum defeito. No entanto permitia-me poupar dinheiro, no uso do cibercafé, e tempo, pois não enviava um email a cada um, mas um único post para todos. (Se és deste tempo, deixa um comentário com a tua história! Vou gostar imensamente de ler.)
O primeiro blog que tive A Onde a Lua Anda
Hoje vê-se os blogs de outra forma, inclusive muitas pessoas criam um blog com o interesse primeiro de ganhar influência sobre os leitores e assim poderem ser pagos por isso. Longe vão os anos de se querer apenas comunicar. Nos primórdios seria quase impensável que uma marca viesse a patrocinar um blogger, no entanto atualmente muitas são as empresas que encontram vantagem em usar os blogs como meio de comunicação para o seus produtos e nome.

Mundo Competitivo
Se há 15 anos era difícil de encontrar outros bloggers, quando se encontrava e gostava, ficava-se fiel à leitura dos seus post e existia incentivo de parte a parte. Nos dias em que vivemos já não é bem assim. Movimentos como “blogagem colectiva” e outros do género promoviam temas comuns e relações entre bloggers. Possivelmente porque como era ainda um meio a florescer e muito era desconhecido, quem estava dentro dele, apoiava-se, sem interesse, até porque na época ninguém ganhava dinheiro, era mesmo e só apenas uma paixão.

Os nossos leitores eram sobretudo pessoas que conhecíamos: familiares, amigos e amigos dos amigos. Construir uma comunidade com milhares ou milhões de seguidores não era um objetivo primordial do blogger. Normalmente a comunidade reunia pessoas que gostavam ou de nós ou do que partilhávamos. Hoje, entre esses, existem os “caça passatempos”, que só estão interessados em ganhar algo que o blogger está a sortear, e os haters, aqueles seguidores que o fazem apenas pelo prazer de destilar ódio. O blogger passou a ter de saber lidar com uma realidade que ficava fora do cantinho acolhedor e familiar no espaço digital de antigamente.

Personalização e Dinamismo
E por referir os comentários... atualmente os comentários apresentam imagens dos avatares de quem dedica algum do seu tempo a acrescentar valor ao post com a sua opinião (por favor, deixem a vossa! Vamos apreciar muito o vosso carinho.), mas há 15 anos eram apenas letras: para o nome, para o email, para o site, para o comentário. Muito evoluíram os templates desde então!

Se hoje podes personalizar um template, naquela época era impensável. Atualmente podes deslocar colunas, widgets, etc. E isso é um avanço enorme, mais ainda quando no layout te é permitido colocar slides, vídeos, gifs, etc. Em 2003 a maioria dos blogs gratuitos eram uma espécie de folha de papel com duas a três colunas no máximo, em que a área maior dedicava-se ao post, no qual era muito difícil de introduzir imagens tanto fotos como vídeos, pois a internet era lenta e os servidores nem sempre estavam preparados. Além disso não se tinha acesso facilitado que se tem hoje à captação de imagem, nomeadamente através do telemóvel. O blog era, então, sobretudo palavras e pouco personalizado. Hoje ocupa a tela toda, telas grandes; há 15 anos eram bem mais pequenos em termos visuais, pois os tamanhos do écran de computador também tinham dimensões menores.

Para além das diferenças nas dimensões e divisão de espaço no layout, também existiam nas paletes de cores. No início da blogosfera o preto, o branco e as cores padrões tomavam conta do terreno. Aos poucos os blogs começaram a ter colunas de tons diferentes, com linhas de cores para além das básicas. Deixou-se apenas de ter disponíveis as cores sólidas, e passou-se a ter também padrões, e tonalidades personalizáveis. E o mais engraçado, é que entretanto o design tornou-se muito mais clean, e realmente o preto e o branco tem sido a cor mais escolhida pelos bloggers, não te parece?

Inúmeras Possibilidades
Muitos dos blogs de hoje possuem páginas fixas, nomeadamente para o “about”, “categorias” e “contactos”, o que é uma evolução em relação aos primeiros anos na blogosfera. Muito do que hoje é permitido nos blogs está relacionado de forma direta com o desenvolvimento da própria internet, quer no aspeto de ligação (rapidez e qualidade), como do que foi entretanto criado através dela. Por exemplo, quando criei o meu primeiro blog, e ao longo dos primeiros anos, para divulgar os post, eu usava o email. Fazia o que hoje seria ilegal: guardava os endereços de emails pessoais e de amigos (e de amigos dos amigos), e envia-lhes uma mensagem a indicar-lhes que existiam novidades no blog. Algo que hoje teria muito pouco efeito com a caixa de mensagens sempre entupida de mil e uma coisas, certo? Com a criação e popularização das redes sociais, e com a possibilidade de inserir ícones nos nossos layouts, permitiu-se que cada post fosse rapidamente partilhado em redes sociais como o Facebook ou o Twitter, bem como que a presença do blog nessas, fosse divulgada ao leitor do blog, com a distância de um clique.

Mais, se antes era difícil receber a sugestão de blogs, hoje existe diretórios bem conhecidos de todos como o Blogs Portugal, ou a própria sugestão das páginas do Facebook ou perfis no Instagram. E, saltando de avatar em avatar, também se descobre novos companheiros de  viagem pela blogosfera. Se os comentários no início eram sobretudo de pessoas que não eram bloggers, apenas leitores, hoje muitos dos comentadores são outros bloggers.

Lá pelos anos 2003/04 os blogs começaram a ser alvo de estudos académicos, pois reconheceu-se que iriam ter impacto no espaço público, por serem uma nova forma de comunicar: do privado para o público. Já não eram apenas os jornalistas que viam os seus textos publicados, ou escritores, mas começava-se a abrir um campo novo de possibilidades a qualquer pessoa. Mas será que alguém imaginava que iria dar no que é hoje? E como será, então, daqui a 15 anos? Estejamos todos cá para ver, que é bom sinal.


Muito obrigada Ana pela tua colaboração, foi um prazer receber-te aqui no meu cantinho.

Acompanhem as novidades no Facebook e no Instagram (@pequenabonecadetrapos)

17 comentários:

  1. Posso dizer que não conhecia mesmo o seu cantinho, mas tenho de passar para ver, pois parece ser bastante internaste
    Beijinhos
    Novo post //Intagram
    Tem post novos todos os dias

    ResponderEliminar
  2. Um blogue dá muito trabalho e exige muita dedicação para se manter ativo.
    Deixando votos das maiores felicidades

    ResponderEliminar
  3. Fantástica e interessante publicação:))

    Hoje » Sussurrei ao mar.

    Bjos
    Votos de uma boa noite.

    ResponderEliminar
  4. É incrível a evolução que o mundo dos blogues tem sofrido. E ter o testemunho de alguém que já cá está há tanto tempo permite-nos ter uma noção muito mais clara.
    Que publicação incrível!

    ResponderEliminar
  5. Conheço a Ana e o blog dela, ela é engraçada no que escreve eu é que ultimamente não tenho tempo para muitas visitas, mas sim, gosto dela e das aventuras dela :)
    Bjxxx

    ResponderEliminar
  6. Vou visitar o blog da Ana,...
    Boa semana,
    Beijinhos,
    Espero por ti em:
    strawberrycandymoreira.blogspot.pt
    http://www.facebook.com/omeurefugioculinario
    https://www.instagram.com/marysolianimoreira/

    ResponderEliminar
  7. Gostei muito deste texto, comecei o meu blogue em 2008 e reconheço algumas das coisas escrita, sem dúvida que a evolução em cerca de 10 ano foi estrondosa.

    ResponderEliminar
  8. Um texto no qual me revejo, relativo a 'outros tempos'.
    O tempo é relativo, mas a verdade é que já lá vão uns anos, e que anos 'loucos'. O MIRC, o HOTMAIL, OS BLOGS, (sapo, blogger, wordpress), a NET em geral (sim, sem ela nada feito, por isso VIVA A NET).
    A procura de novos templates, a linguagem (novidade para alguns e total desconhecimento para outros) HTML, o target_blank (ahahahahaha) que fazia o "milagre" de abrir nova janelinha (eheheheh) as barras, o bold, os links... o template que desaparecia (e cópia, tens?), o pedido de 'socorro!' aos mais "experts" no assunto, e nomes que jamais se esquecem não só pela qualidade, inovação e partilha.... ADZIVO, ESQUISSOS, GATA DAS PANTUFAS, PÉ DE MEIA, FRAGMENTOS, AZORIANA, entre outros.
    Não havia (ainda) fotos no perfil, até que um dia alguém se "aventurou" perante a possibilidade de dar cara ao nome, mas alguns ainda hoje mantêm esse "anonimato".
    Também começaram a aparecer alguns "famosos" da política e não só, a dar uma perninha (salvo seja) no mundo dos blogs.... ABRUPTO, CAUSA NOSSA entre outros.
    Enfim, um oceano imenso de partilha, nem sempre com boa navegação, mas que sem dúvida faz parte dos dias de hoje e da história da comunicação.
    Gostei do post!
    Tudo de bom!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tens toda a razão! O mais engraçado é que me lembro de um ou dois nomes desses que falas!

      Eliminar
  9. Não conhecia o blog da Ana.
    Vou passar lá :)
    Tem sido de facto uma evolução enorme nestes anos, o blogue mais antigo que tenho, do Projecto PAL criei-o em 2006, tenho alguma noção do que é descrito.
    Mais uma vez, Teresa, parabéns pela ideia do Guest Post, atitude muito nobre e louvável.
    Beijinhos

    ResponderEliminar

Instragam