Translate

domingo, 16 de setembro de 2018

# #ontemesomemoria # #pequenabonecadetrapos

Guest Post: Fortnite, o jogo com uma legião de jogadores

A loucura com Fortnite Battle Royale ainda está viva e para durar. A convite do Ontem É Só Memória este é o meu guest post. Vem daí conhecer o Fornite e perceber o porquê de ser o que é e de ter a legião de jogadores que tem.

QUEM SOU EU

Olá, eu sou o PUMPUM. Não me conheces? Não faz mal. Eu apresento-me. Tenho um blog onde coloco os meus pensamentos e opiniões sobre gaming, filmes, séries, música, eventos e ainda dou umas dicas para tirares melhor partido do teu PC e tecnologia. Semanalmente faço livestreams no meu canal na Twitch com gameplay variada. A Teresa já foi a convidada de um dos episódios do meu podcast, o Experiência Estereofónica, que agora está em repouso para um regresso em altura mais oportuna. Dado o meu gosto e conhecimento por videojogos, novos e antigos, aqui está o meu post de convidado intitulado "A Loucura Com Fortnite Battle Royale". Este jogo tomou de assalto o mundo dos videojogos. Consegue juntar no mesmo ecossistema jogadores casuais e competitivos. Mas vamos esmiuçar o que é esta moda.

A LOUCURA COM FORTNITE BATTLE ROYALE

De memória o que me lembro em concreto de Fortnite não é o que temos agora: Fortnite Battle Royale. Não. Isso veio pouco tempo depois de ter sido lançado o verdadeiro Fortnite. Se calhar devia ter colocado aspas em verdadeiro. Mas eu explico. A Epic Games, produtora do jogo em questão, lançou um jogo cooperativo de sobrevivência chamado Fortnite Save The World. Este último era, e é, pago. A mecânica de jogo consiste de colocar vários jogadores a colaborar em simultâneo numa área geográfica em que têm de edificar fortificações para resistir às sucessivas tentativas de intrusão de monstros. Algo básico mas com os ingredientes para se tornar viciante, certo? Não, nem por isso... Então o que é que a Epic Games pensou fazer para tentar puxar pessoas para Fortnite Save The World? Nada mais nada menos do que fazer uma versão alternativa do jogo free-to-play (isto é grátis para jogar) mas assente no modo de jogo de Battle Royale que está tão na moda agora como naquela altura. E Fortnite tem contribuído e muito para o género se manter com os elevados níveis de popularidade que tem actualmente. Mas de volta ao que interessa. Então temos o lançamento de Fortnite Battle Royale, que é grátis para jogar, e deste modo a Epic Games tentar vender cópias do jogo que tem como prioridade, o Fortnite Save The World. Mas a vida dá muitas voltas e não se deve remar contra a maré. Há que aproveitar a maré e surfar a onda! E foi isso que a Epic Games fez e nunca mais olhou para trás. Fortnite Battle Royale conseguiu tomar de assalto um estilo de jogo que estava a ser dominado até então por PUBG (Playerunknown's Battlegrounds). H1Z1, inicialmente com o nome H1Z1 King Of The Kill, já estava para o moribundo e actualmente está em coma profundo à espera da morte medicamente assistida. Vamos então analisar essa mudança de paradigma em Fortnite.

UM CONCEITO SIMPLES, REPETITIVO E VICIANTE

Quando digo que Fortnite Battle Royale é um conceito simples, repetitivo e viciante estou a ser genérico. Certamente há quem não goste e não vá gostar. E está tudo bem. Não há mal nenhum nisso. Nada existe ou é feito para agradar a todos. Até porque quando se quer agradar a toda a gente não se agrada a ninguém. Fornite está feito para agradar a muita, mas mesmo muita gente. E não a todos. E aqui está uma das chaves do sucesso para este jogo. O conceito de Fortnite Battle Royale é simples. 100 jogadores são transportados por um autocarro voador para uma ilha desabitada. Perto da ilha é possível saltar do autocarro para uma zona da mesma, que podemos marcar para facilitar a nossa aterragem o mais perto do ponto desejado. Não esquecer que estão outros 99 jogadores a cair do autocarro para a ilha. Não quer dizer que todos vão para o mesmo ponto, mas é provável que um número significativo vá. E estão todos à procura do mesmo. Armas, munições, escudos, matéria prima para edificarem barreiras protectoras em momentos de confronto directo contra um ou mais jogadores. Como é que se chega ao vencedor? Simples. O vencedor num Battle Royale é o último sobrevivente. Há sempre um vencedor. Não interessa se matou muitos ou poucos, se fez muitas e boas barreiras. Não. É mesmo o último a sobreviver. Dentro de x em x tempo a área de jogo vai sendo reduzida para forçar todos os jogadores que ainda estão vivos a convergir num local específico que é aleatório de partida em partida. Assim não dá para ficarem acampados por muito tempo. Deste modo o jogador é praticamente obrigado a procurar conflito para se manter activo no jogo. A mecânica que diferencia Fortnite Battle Royale dos seus concorrentes não é só o aspecto visual a atirar para os desenhos animados, mas principalmente a necessidade de se aprender a construir para se ter mais chances de sobreviver a confrontos.

UMA FÁBRICA DE MILHARES DE MILHÕES

Fortnite Battle Royale foi sendo moldado para ser capaz de atrair dinheiro para a Epic Games apesar de ser um jogo gratuito. O jogador não é obrigado a comprar nada. Mas é aliciado de forma directa e indirecta. E muito inteligente. É aliciado a comprar dinheiro virtual do jogo. Mas para isso tem que usar dinheiro real. O que pode fazer com esse dinheiro virtual? Comprar itens cosméticos para o seu personagem. E são mais que muitos. Há para todos os gostos e regularmente saem mais. É uma máquina de fazer dinheiro porque toda a gente, ou a grande maioria que joga Fortnite Battle Royale, não quer parecer pior que o amigo que também joga, ou até os restantes jogadores na mesma sessão. Algo que noto é que dado o aspecto do jogo e a forma como se alicia, muita gente nem dá conta das centenas de euros que já gastou com itens cosméticos no jogo que não lhes dão nenhuma vantagem. As armas e balas estão espalhados em diversos locais da ilha de forma aleatória. Quando eliminas um adversário o seu inventário fica espalhado no local onde tal aconteceu e podes aproveitar para recolher ou não o que ele tinha no dele. Por exemplo, o conjunto de iniciação do Fortnite Battle Royale custa €4,99. E este conjunto é apenas um item cosmético que dá um aspecto particular ao nosso personagem. Nada mais do que isso. Até os nomes utilizados nisto fazem com que o jogador se sinta tentado a adquirir. E é aqui que reside o sucesso. Por via do jogo ter dezenas de milhões de jogadores activos e ser tão popular em todas as faixas etárias alvo, a receita monetária é maior do que se tivessem a vender cópias individuais do jogo. Por isso a Epic Games abandonou o Fortnite Save The World e tornou o seu Battle Royale na grande prioridade. E foi uma excelente jogada!

REDES SOCIAIS ONDE ESTOU PRESENTE

Caso tenhas interesse no meu trabalho podes seguir-me nas redes sociais. Em baixo tens a listagem de todas onde estou presente. Facebook | Twitter | Google+ | Instagram | YouTube | Steam | Twitch | Pinterest | Reddit | Tumblr | Feed RSS

A LOUCURA COM FORTNITE BATTLE ROYALE

Uma vez mais agradeço à Teresa pelo convite que me endereçou e desejo a todos uma boa participação nesta iniciativa. Já jogaste o Fortnite Battle Royale? Conhecias o jogo? Podes, e deves, deixar o teu comentário em baixo. Tenho todo o gosto em ler e responder. Até uma próxima!


Muito obrigada PumPum pela tua colaboração, foi um prazer receber-te aqui no meu cantinho.

Acompanhem as novidades no Facebook e no Instagram (@pequenabonecadetrapos)

17 comentários:

  1. Nao sou muito de jogos mas foi giro conhecer o PumPum :)
    Bjinhosss aos dois*
    https://matildeferreira.co.uk/

    ResponderEliminar
  2. A minha filha é fã do Fortnite!

    https://artesecosturasalexandra.blogspot.com

    ResponderEliminar
  3. Não sou muito de jogar jogos, mas gostei de conhecer um pouco mais
    Beijinhos
    Novo post //Intagram
    Tem post novos todos os dias

    ResponderEliminar
  4. Tenho ouvido falar imenso do jogo, mas nunca me puxou a jogar, confesso, porque não faz o meu género. Ainda assim, gostei de ficar a conhecer estas particularidades

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  5. Confesso que nunca tinha ouvido falar.

    Isabel Sá
    Brilhos da Moda

    ResponderEliminar
  6. A loucura do mundo dos jogos, para quem gosta e não só! ;)
    Excelente post do PUMPUM que deixou alguma curiosidade.
    Boa semana,tudo de bom!

    ResponderEliminar
  7. Parece-me um blogue interessante, não conhecia, por isso, obrigada pela partilha :)

    ResponderEliminar
  8. Obrigado pelo convite Teresa :)

    Sempre que quiseres um guest post destes temas já sabes que é só apitares.

    Beijinhos e continua com o bom trabalho!

    PUMPUM - https://www.pumpum.org

    ResponderEliminar

Instragam