Translate

domingo, 23 de setembro de 2018

# #ontemesomemoria # #pequenabonecadetrapos

Guest Post: A arte [quase] extinta de elogiar

Olá a todos,

Chamo-me Andreia Morais, tenho 26 anos e sou Educadora de Infância. O meu coração pertence ao Porto, mas quero conhecer Portugal de Norte a Sul ao volante de uma Pão de Forma. Faço coleção de dedais. E vivo dentro de um Moleskine viajante, que regista todos os meus pensamentos periclitantes. Por ser tão apaixonada pelas palavras, primeiro, criei o Parte do que sou, mas quatro anos depois mudei-me para um novo lar, As gavetas da minha casa encantada, onde permaneço até hoje. É o meu refúgio, o local onde me desafio e onde dou asas à minha imaginação. E é, sem dúvida, uma extensão de mim. Dentro desta casa virtual não estabeleci muitas regras, mas há duas que são indispensáveis: escrever sempre com o coração e só abordar temas que me fascinam. Um dia, hei-de publicar um livro – o meu sonho mais antigo.
Não posso deixar de agradecer à Teresa por esta oportunidade fantástica, que decidi aproveitar para falar sobre um hábito que temos pouco: elogiar.
fotografia da autoria da Andreia
Em Portugal, sinto, elogia-se pouco.  Será que as pessoas perderam a capacidade bonita de destacar e valorizar o que o outro tem – e faz – de melhor?
Há umas semanas, em conversa com a minha mãe, ela partilhou comigo o quanto uma colega de trabalho a tem surpreendido pela positiva. E concluiu o seu pensamento com uma afirmação que me enterneceu: “quando estiver com ela, vou dizer-lhe isso”. Porque é importante chamar à atenção quando algo não é feito corretamente, mas também é fundamental reconhecer quando acontece o oposto. E acho, muito honestamente, que é este cuidado que nos falta enquanto sociedade.
Sei que posso estar a ser injusta ao afirmar que o elogio é uma arte [quase] extinta, até porque, felizmente, existe quem tenha a ousadia de não permitir que esse louvor se perca. Porém, ao cruzar-me com certos comentários/partilhas/situações do quotidiano, percebo que a balança ainda está muito desequilibrada. Criar polémica, destacar erros e reclamar são práticas que continuam a ter uma força surpreendente e, por vezes, inexplicável. Mas, atenção, as duas últimas também são necessárias, porque, efetivamente, todos errados e é bom quando nos alertam para esse facto, sobretudo, sem ser com condescendência e desrespeito. O pior é que há sempre alguém que não compreende – ou faz que não compreende – qual é a linha que separa a crítica do insulto gratuito – e desnecessário. Além do mais, para cada apreciação menos positiva que fazemos – por qualquer motivo que não interessa, agora, para o caso –, deveríamos ser capazes de, mais tarde, complementar com um reparo agradável. É que apontar o dedo é fácil. Difícil é, depois, elogiarmos quando algo é bem feito/dito. A sensação implícita é que a pessoa não fez mais do que a sua obrigação. E mesmo que não tenha feito, um elogio sincero cai sempre bem.
Leio muitos louvores a artistas – e ainda bem, porque merecem –, mas quero focar-me em pessoas anónimas, que todos os dias enfrentam as suas batalhas. É prioritário aprender que, a dado momento do nosso percurso, todos merecemos ouvir palavras de apreço. Não é só estar pronto para reclamar, para elencar uma série de falhas. É saber qual a ocasião certa para proferir um e outro. É compreender que o sucesso está no equilíbrio e que só assim conseguiremos ser justos. Crescemos imenso quando somos capazes de entender que nos enganamos ou quando nos ajudam a chegar a essa conclusão. Mas quando nos gabam, compreendemos que estamos no caminho certo. E elogiar é, também, reconhecer o mérito da pessoa. E se gostamos que o façam connosco, porque não fazê-lo mais vezes com os outros? Este compromisso bonito deveria ser inato, porque não nos deveria custar tanto colocar em primeiro lugar o bem. Mas já que nem sempre é assim, então, façamos o exercício extra, até que se torne algo natural e intrínseco à nossa postura.
Como em tudo na vida, é essencial começarmos por nós. Porque se não formos capazes de enaltecer as nossas características e os nossos feitos – sem perdermos humildade –, dificilmente o faremos com terceiros, pois é um hábito que, por não ser alimentado de dentro para fora, cai em esquecimento. Por isso, elogiem-se. Elogiem. Tirem um dia das vossas vidas – ou vários – para preenchê-lo só com apreciações positivas. Mas sejam verdadeiros, sempre. Porque pior que não saber elogiar é fazê-lo por obrigação. A nossa pegada torna-se muito mais especial quando valorizamos o lado bom da vida – da nossa e da dos outros.


Muito obrigada Andreia pela tua colaboração, foi um prazer receber-te aqui no meu cantinho.

Acompanhem as novidades no Facebook e no Instagram (@pequenabonecadetrapos)

36 comentários:

  1. Acho muito importante, adorei o post.
    Beijinhos
    http://virginiaferreira91.blogspot.com

    ResponderEliminar
  2. Oh gostei bastante dessa colaboração linda, adorei muito a partilha dela
    Beijinhos
    Novo post //Intagram
    Tem post novos todos os dias

    ResponderEliminar
  3. Muito, muito obrigada pela oportunidade, minha querida! Foi um gosto enorme colaborar para o teu cantinho *-*

    ResponderEliminar
  4. Elogiar é muito importante pois quem elogia apela ao seu lado humano mais sensível é quem é elogiado fica favorecido!
    Bj

    ResponderEliminar
  5. Que interessante entrevista!!

    Do nosso amigo, Gil António:- Hoje » LÁGRIMAS ... ( Poetizando e Encantando )

    Bjos
    Votos de uma boa noite.

    ResponderEliminar
  6. Um texto muito interessante que nos remete para uma auto-análise. Gostei.
    Abraço e uma boa semana

    ResponderEliminar
  7. Realmente virou mesmo raridade, mas faz bem a quem dá e a quem recebe
    Gostei, muito legal!
    Blog ArroJada Mix|Blog Prosa e Texto|Blog Vapor da Cozinha

    ResponderEliminar
  8. Minha querida Bonecamiga

    Estou de acordo 200% com o texto. De resto há cera de um ano a convite da tertúlia Sabores & Saberes de que faço parte e promove um almoço todas as quintas-feiras no restaurante Sabores de Goa na Rua do Zaire, no Bairro das Colónias com o título Elogiar e Reprovar.

    Isto aconteceu durante um almoço em cada mês no qual há sempre um palestrante que escolhe previamente o tema. Tive a oportunidade de dizer exactamente o que consta este texto embora e naturalmente por outras palavras e por bastante mais tempo: a palestra demorou mais ou menos meia hora.

    Por isso fiquei encantado quando encontrei aqui este texto que não poso deixar de aplaudir e agradecer por aquilo que me/nos ofereces.

    Muitos qjs queijinhos = queijinhos = beijinhos deste teu novo amigo
    Henrique, o Leãozão

    Na Travessa há um novo post de carácter risonho intitulado A perninha do meio Talvez gostes de ler e comentar...

    ResponderEliminar
  9. Elogiar, parece que, poucas pessoas são capazes de o fazer....já apontar o dedo, recriminar, atacar...são muitas a fazê-lo...

    Isabel Sá
    Brilhos da Moda

    ResponderEliminar
  10. Completamente de acordo ctg, querida Andreia, mais uma vez foste de encontro ao que eu penso... e sim, os portugueses deviam reconhecer mais o seu valor :) Quando elogiam o nosso trabalho, ficamos com mais vontade de continuar a fazer melhor :)
    Por mais pessoas assim :)
    Bjinhosss as duas*
    https://matildeferreira.co.uk/

    ResponderEliminar
  11. As pessoas elogiam cada vez menos e criticam cada vez mais...
    Gostei imenso do que li, a Andreia escreve super bem! :D
    beijinhos

    www.amarcadamarta.pt

    ResponderEliminar
  12. Mais um texto brilhante da nossa amiga Andreia. E isto não sou eu a elogiar só para cair em graça. Ela escreve mesmo muito bem, num estilo apaixonante e numa escrita muito cuidada. Não sei como ela faz, mas eu, para escrever alguma coisa de jeito que não se aproxima, nem de longe, andava uma semana a corrigir e a emendar. Lá diz o Lobo Antunes, por outras palavras, que escrever dá uma trabalheira enorme.
    Andreia, não deves ter mais nada que fazer. eheheheheheheh

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Faço minhas as minhas palavras!
      por isso é que foi um prazer receber por aqui a Andreia!

      Eliminar
  13. Parabéns pelo texto, concordo muito com a palavras. Estamos em meio à tecnologia e correndo contra o tempo sempre. Isso me fez refletir na importância ao próximo. Teresa me inspirou á realizar o mesmo, vou realizar um Guest Post lá no blog também.

    ResponderEliminar
  14. Civismo, respeito, educação, agradecimento. E que não se extingam.
    Gostei do post.
    Parabéns mais uma vez pela iniciativa 'Guest Post'.
    Boa semana, tudo de bom.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  15. Tal como já nos habituaste, gostei muito do teu texto!
    Elogiar é preciso, faz falta! Esquecemo-nos muito disso.Eu gosto de elogiar! E daqui vai o meu elogio! Que consigas em breve concretizar o teu sonho de lancares o teu livro.

    Beijinhos
    Sandra C.
    Bluestrass.blogspot.com

    ResponderEliminar
  16. Teresa e Andreia, estão as duas de parabéns!
    Adoro os blogues de ambas e mesmo sem vos conhecer já gosto imenso das duas.
    Andreia, gostei quando falaste em humildade, para mim a humildade é uma das características mais importantes num bom ser humano. Elogiar devia ser inato como tu dizes e que acontece muitas vezes é que as críticas construtivas são feitas em pretexto de desvalorizar alguém e as boas críticas ficam de lado porque fazer bem é considerado uma obrigação nossa. Um elogio é tão fácil e às vezes pode ser até determinante na vida de outra pessoa. Todos merecemos e necessitamos de nos sentir valorizados, não por convencimento mas porque isso dá-nos força, motivação, coragem.
    Obrigada
    Beijinho às duas

    ResponderEliminar
  17. Eu elogio sempre quem eu acho que merece e crítico quem não faz bem ou aje bem.
    A ti Andreia e pelo que conheço de ti, tu és uma miúda incrível com um coração enorme e que tem uma maneira incrível de escrever e deves partir para esse desafio. Beijinhos linda.

    ResponderEliminar
  18. Gostei imenso do texto, e é tão verdade.

    ResponderEliminar
  19. Gostei imenso do texto! É realmente importante saber chamar atenção por algo menos bom, mas também dar os parabéns por aquele momento ou ação. A vida é feita de equilíbrios, e só assim conseguimos crescer, a errar e aprender!
    Beijinho, Ana Rita*
    BLOG: https://hannamargherita.blogspot.com/ || INSTAGRAM: https://www.instagram.com/rititipi/ || FACEBOOK: https://www.facebook.com/margheritablog/

    ResponderEliminar

Instragam